10:09 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Famílias sírias recebem lote de ajuda humanitária em Aleppo

    EUA são acusados de inação na proteção da população civil na Síria

    © AFP 2017/ KARAM AL-MASRI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    441670

    A organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) acusou os Estados Unidos de não terem tomado medidas para evitar vítimas civis durante os bombardeios na Síria, em março, em que 38 pessoas perderam a vida.

    Em seu relatório sobre os bombardeios norte-americanos de 16 de março, em Aleppo, a HRW declara que as tropas norte-americanas não conseguiram determinar que o alvo de suas bombas era uma mesquita onde os fiéis se haviam reunido para rezar.

    Os ativistas afirmam que não encontraram evidências de que na mesquita estivessem reunidos membros da Al-Qaeda, grupo terrorista proibido na Rússia.

    Ole Solvang, vice-diretor da HRW, enviou um pedido ao governo norte-americano para "esclarecer o acontecido, cumprir as obrigações antes de iniciar os ataques e garantir que não volta a acontecer".

    O CENTCOM (Comando Central do Exército dos Estados Unidos) reconheceu que realizou o ataque na área adjacente à mesquita de Al-Jinah. Mais tarde, o Pentágono afirmou que o alvo do bombardeio era precisamente o templo.

    Mais:

    Explosão atinge comboio com refugiados xiitas perto de Aleppo
    Exército sírio descobre abrigos secretos do Daesh em Aleppo
    Mais de 12 mil civis retornam a Aleppo
    Tags:
    civis, vítimas, ataque, HRW, CENTCOM, Aleppo, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik