12:13 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssel Tomahawk (foto de arquivo)

    Tudo que tem que saber sobre os mísseis Tomahawk lançados contra Síria

    © AP Photo/ US NAVY
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)
    504425821

    A Marinha dos Estados Unidos tem milhares de mísseis, cada um deles pronto para enviar uma mensagem destrutiva e mortal, adverte Andrew Griffin, autor de um artigo para o jornal britânico The Independent.

    Em referência ao último ataque dos EUA contra a Síria, o autor lembra que cada um dos mísseis lançados contra a base aérea de Shayrat custa 1,5 milhões de dólares. No total, o bombardeamento com 59 projéteis custou a Washington 90 milhões de dólares.

    Nesta imagem fornecida pela Marinha dos Estados Unidos, o destrutor de mísseis guiados USS Porter (DDG 78) lança um míssil de ataque de terra tomahawk no Mar Mediterrâneo, sexta-feira, 7 de abril de 2017.
    © REUTERS/ Robert S. Price/Courtesy U.S. Navy/Handout
    Segundo o autor do artigo, os militares dos EUA disseram que vale a pena pagar esse dinheiro por uma arma de precisão incalculável, com considerável poder de destruição e importância simbólica.

    O míssil Tomahawk está em serviço das Forças Armadas dos EUA desde o final dos anos 70.

    Os projéteis, com cerca de 1.500 kg de peso e seis metros de comprimento, são lançados a uma velocidade de 880 km/h a partir de cruzadores, destróieres e submarinos.

    Uma vez no ar, abrem asas de um metro, o que lhes permite voar sobre o solo até ser necessário. Além disso, eles transportam uma grande quantidade de tecnologias: GPS e outras ferramentas de mapeamento e ligações e sistemas de navegação por satélite.

    Griffin também recorda que na Síria não foi a primeira vez que os EUA usaram o Tomahawk.

    "Os Estados Unidos tinham usado o Tomahawk como sinais de advertência em conflitos no Iraque, Iugoslávia, Afeganistão, Sudão, Iêmen e Líbia", enumera Griffin as operações militares em que participou o país norte-americano.

    "A Marinha dos EUA tem mais de 3.500 Tomahawks prontos para serem lançados a partir de seus navios em todo o mundo", conclui o autor.

    Dada a capacidade destrutiva de tais mísseis, há pessoas que se perguntam por que depois do ataque efetuado pelos EUA a base na Síria voltou a funcionar no dia seguinte.

    Tema:
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)

    Mais:

    Ministério da Defesa russo critica a suposta 'eficiência' do ataque dos EUA na Síria
    EUA não escutam ninguém
    Tags:
    bombardeamento, mísseis de cruzeiro, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik