17:17 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    19102
    Nos siga no

    O Exército da Síria não tem armas químicas, por isso as acusações de um ataque na província de Idlib podem ser parte de uma ação de propaganda contra o exército da República Árabe da Síria, disse à Sputnik uma fonte do exército.

    A Coalizão Nacional Síria da Oposição e das Forças Revolucionárias comunicou sobre 80 vítimas e 200 feridos em resultado de um ataque com uso de armas químicas na cidade de Khan Shaykhun, na província de Idlib. As forças da oposição declaram que a culpa é do exército sírio.

    "O exército da Síria não tem armas químicas e não atacou a cidade de Khan Shaykhun em Idlib. As declarações dos grupos terroristas são falsas. Isto é uma justificação para as pesadas baixas durante o último avanço do exército sírio ao norte da província de Hama", disse uma fonte.

    "Não é de excluir que eles tenham eles próprios realizado este ataque para lançar uma campanha de propaganda contra o exército sírio", disse uma fonte.

    A Síria vive desde 2011 um violento conflito civil entre forças do governo e diversos grupos da oposição do país, muitos dos quais reconhecidos internacionalmente como organizações terroristas. De acordo com a ONU, a guerra já provocou a morte de mais de 300 mil pessoas.

    Mais:

    Exército sírio avança contra principal baluarte de terroristas na província de Hama
    Exército sírio liberta 16 povoados na província de Hama
    Exército sírio e milícias fazem militantes islamistas recuar para norte de Hama
    Tags:
    armas químicas, Exército Árabe Sírio, Hama, Idlib, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar