10:18 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Coalizão da aviação dos países árabes causou ataques aéreos contra a residência do ex-presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh

    Bombardeios da coalizão matam mais de 100 civis no Iêmen só em março

    © Sputnik / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    409

    Somente no último mês, 106 civis foram mortos no Iêmen, principalmente por ataques aéreos e bombardeios de navios de guerra da coalizão saudita, de acordo com o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

    "Somente no último mês, 106 civis foram mortos, principalmente por ataques aéreos e bombardeios de navios de guerra da Coalizão", disse a declaração divulgada pelo Escritório, acrescentando que um certo número de refugiados somalis estava entre as vítimas.

    "As mortes violentas de refugiados fugindo de outra guerra, de pescadores, de famílias em mercados — é o que o conflito no Iêmen mostra dois anos depois de ter começado; Completamente terrível, com pouca aparência de vidas civis e infraestrutura", disse o príncipe Zeid Bin Raad, o Alto Comissário para os Direitos Humanos, como citado na declaração.

    O Comissário salientou que dois anos de conflito são "suficientes" e instou "todas as partes e aqueles com influência a trabalharem com urgência em um cessar-fogo completo para pôr fim a este desastroso conflito e para facilitar a prestação de assistência humanitária ".

    Zeid também pediu a criação de uma investigação internacional independente sobre os numerosos relatos de graves violações de direitos humanos no Iêmen, salientando que os responsáveis ​​por milhares de mortes de civis no Iêmen não devem "gozar de total impunidade".

    A guerra civil do Iêmen se arrasta desde 2015 entre o governo internacionalmente reconhecido do presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi e o movimento houthi apoiado por unidades do exército leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh. Pouco depois do início do conflito, a coalizão saudita dos países árabes lançou a Operação Tempestade Decisiva, que desde então tem feito ataques aéreos contra os houthis a pedido de Hadi.

    De acordo com os últimos dados das Nações Unidas, o número total de mortes civis documentadas na guerra do Iêmen é de 4.800 pessoas, com mais de 8.200 civis feridos.

    O Escritório de Direitos Humanos da ONU adverte que o número real de civis mortos no conflito pode ser "consideravelmente maior".

    Mais:

    Trump adota nova estratégia contra o terrorismo no Iêmen
    Pentágono confirma novos bombardeios no Iêmen
    WikiLeaks: EUA muniram exército do Iêmen antes mesmo da guerra contra houthis
    Tags:
    ONU, Nações Unidas, Operação Tempestade Decisiva, Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos, Ali Abdullah Saleh, Abd Rabbuh Mansur Hadi, Zeid Bin Raad, Arábia Saudita, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik