04:54 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14290
    Nos siga no

    A Rússia já está acostumada a salvar seus parceiros na Síria. O Kremlin salvou Obama da guerra suicida contra Bashar Assad por causa de armas químicas e agora é o turno de salvar turcos e curdos da guerra entre eles.

    O professor do Departamento de Ciências Políticas da Universidade de Finanças do Governo da Rússia, Gevorg Mirzoyan, comenta a situação à Sputnik.

    O exército turco está na Síria não só para combater o grupo terrorista – proibido na Rússia – Daesh, mas para impedir a unificação das forças curdas ao longo da fronteira sudeste da Turquia. Segundo o especialista, é justamente por isso que o governo turco deseja libertar a cidade de Manbij.

    Segundo Mirzoyan, os EUA apoiam curdos com objetivo de capturar as duas capitais do Daesh – a cidade de Mossul no Iraque e Raqqa na Síria. Se conseguirem, privarão a Rússia, o Irã e a Síria do título de vencedor pela destruição do Daesh.

    "Washington já declarou o aumento da ajuda técnico-militar para os curdos sírios e vai aumentar o número de forças especiais no território curdo que ajudam a combater o Daesh", disse o especialista.

    Presidente turco Recep Tayyip Erdogan fala durante a reunião com investidores internacionais no Palácio presidencial em Ancara, Turquia, 2 de agosto de 2016
    © AFP 2020 / KAYHAN OZER / Serviço público do presidente turco
    Tais decisões dos Estados Unidos deixaram o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, em um impasse, pois não conseguiria realizar operações ofensivas contra curdos sem prejudicar os interesses dos americanos e, ao mesmo tempo, não recusaria "libertar" a região de Manbij, pois possui "ambições de um sultão", disse o especialista.

    É aí que entra a Rússia na história. Moscou simplesmente propôs dividir turcos e curdos usando o exército sírio, que segundo o acordo vai tomar sob controle uma parte da terra nas margens sulistas do rio Eufrates.

    Os turcos ficaram contentes – conseguiram reduzir a zona de influência dos curdos sem entrar em conflito com os americanos. "O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, declarou que [Turquia] prefere Manbij sendo controlada por sírios do que por curdos", o especialista Gevorg Mirzoyan cita as palavras do político.

    Os curdos também gostaram da decisão, pois a população da cidade de Manbij será protegida da possível agressão da Turquia.

    Segundo o especialista, os curdos podem ser usados no futuro como um meio de contenção da Turquia, não só por Trump, mas também por Putin.

    Não é coincidência que a Rússia insiste na participação de curdos nas negociações de paz na Síria. O tempo vai mostrar se esse plano da Rússia foi correto, concluiu o especialista.

    Mais:

    Erdogan comenta planos dos EUA para libertar Raqqa
    Erdogan pode convocar referendo que institui pena de morte na Turquia
    Curdos transferem terras ao Exército sírio; Turquia desmente acordo
    Tags:
    opinião, tensão militar, Vladimir Putin, Donald Trump, Recep Tayyip Erdogan, rio Eufrates, Manbij, Curdistão sírio, EUA, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar