19:04 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Militares na parte histórica de Palmira liberada dos terorristas do Daesh, Síria, maio de 2016

    'Libertação de Palmira devolve a confiança ao exército sírio'

    © Sputnik / Maksim Blinov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Palmira novamente reconquistada (23)
    1160

    A libertação da cidade síria de Palmira, realizada pelas tropas sírias com apoio da Força Aeroespacial russa, vai devolver a confiança ao exército na luta contra o terrorismo, estima uma fonte das milícias.

    Assim é a parte histórica de Palmira hoje em dia
    © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy
    Segundo o chefe militar de uma unidade da milícia Ahmad Bouhammad, a libertação de Palmira dá confiança ao exército sírio e é um marco importante para a libertação da Síria do terrorismo.

    "Sem dúvida, a libertação de Palmira devolve a segurança ao exército sírio. A libertação de Palmira representa não somente um símbolo duma nova era, este é o primeiro passo para que avancemos mais e libertemos todo o território sírio", declarou Ahmad Bouhammad.

    Segundo indicou o chefe dos combatentes da milícia popular, a coisa mais importante é não perder a cidade de novo.

    As forças governamentais sírias, apoiadas pela aviação russa, libertaram completamente a cidade de Palmira e a sua cidade antiga em 2 de março. A reconquista da cidade durou menos de 24 horas.

    Os terroristas do Daesh, que tinham perdido o controle sobre todas as altitudes estratégicas na noite de 1 para 2 de março, começaram fugindo da cidade. A artilharia síria continuou atacando os terroristas do Daesh e seus comboios de veículos em fuga após o fim da operação da libertação de Palmira.

    Tema:
    Palmira novamente reconquistada (23)

    Mais:

    Aeroporto de Palmira é libertado do Daesh pelo exército sírio
    Imortalidade de Palmira: ofensiva rápida e salvação da pérola do deserto
    Tags:
    território, derrota, reconquista, posições, ofensiva, milícia, exército, controle, terroristas, libertação, Daesh, Palmira, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik