06:01 25 Fevereiro 2017
Ouvir Rádio
    Fumaça sobe após ataque sírio na antiga cidade de Quneitra, perto da fronteira entre a Síria e as Colinas de Golã que são controladas por Israel

    Opinião: transferência das Colinas de Golã para Israel arruinará progresso da paz na Síria

    © AP Photo/ Ariel Schalit
    Oriente Médio e África
    URL curta
    471515105

    No dia 23 de fevereiro, quando acontecerão as negociações sobre Síria em Genebra, está marcado o encontro do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, com o presidente dos EUA, Donald Trump.

    Provavelmente, eles discutirão não somente a crise síria, mas também questões relacionadas às Colinas de Golã — território disputado entre Israel e Síria.

    O secretário geral das Forças Democráticas Sírias, Fajr Zeidan (oposição interna da síria), afirmou à Sputnik Árabe que Netanyahu espera resolver, juntamente com o presidente dos EUA, a disputa sobre o domínio das Colinas de Golã através do favorecimento de Israel. Caso Trump seja a favor desta solução, todas as ações que visam encontrar solução pacífica da crise síria sentirão o impacto. 

    A Rússia apoia os esforços internacionais embasados no cumprimento da resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU a fim de resolver a crise na Síria. Atualmente, o objetivo principal é o cessar-fogo absoluto entre o exercito e a oposição. Nos últimos tempos, os EUA começaram a dar os primeiros passos nessa direção. Mas passos serão dados para trás, caso os EUA reconheçam o direito de Israel às Colinas de Golã.

    Mais:

    Comando do exército sírio confirma abate de avião israelense nas Colinas de Golã
    Israel nega perda de seus veículos aéreos nas Colinas de Golã
    Força Aérea de Israel ataca o Exército da Síria nas Colinas de Golã
    Israel ataca posições do exército sírio nas Colinas de Golã
    Tags:
    crise síria, resolução pacífica, encontro bilateral, direito, disputa territorial, progresso, negociações de paz, reconhecimento, cessar-fogo, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Donald Trump, Benjamin Netanyahu, Colinas de Golã, Genebra, Síria, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Todos os comentários

    Mostrar comentários novos (0)