09:32 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Torcedores concentrados em frente ao Estádio Municipal 4 de Janeiro, em Uíge, Angola

    Acidente em estádio de futebol deixa pelo menos 17 mortos em Angola

    Tekassala Toco / Reprodução Facebook
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 33

    Ao menos 17 pessoas morreram asfixiadas na cidade de Uíge, em Angola, nesta sexta-feira, por conta de um grave acidente provocado por uma tentativa forçada da multidão de entrar em um estádio local para assistir a um jogo de futebol entre clubes do país.

    Segundo informações da agência Lusa, o desastre, que ocorreu durante uma partida entre o Santa Rita de Cássia e o Recreativo do Libolo, válida pela primeira rodada do Girabola, ainda deixou cerca de 60 feridos, sendo cinco em estado grave.

    Fontes afirmam que o tumulto foi provocado por uma falha no esquema de venda de ingressos, que levou a uma grande concentração de pessoas na porta do estádio. Mesmo após a liberação da entrada, já no segundo tempo, a polícia não foi capaz de controlar a multidão, que, sob bombas de gás lacrimogêneo, teria derrubado o portão principal da arena.

    Ao saber do ocorrido, o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou condolências ao presidente angolano, José Eduardo dos Santos, e ao povo do país africano. 

    "Nesta hora difícil, quero transmitir-lhe, Senhor Presidente, em meu nome e em nome do povo português, toda a solidariedade para com o povo angolano, para com os adeptos e profissionais dos clubes que estavam em campo, e especialmente para com as famílias das vítimas, a quem envio, através de Vossa Excelência, as mais sinceras condolências", diz a mensagem do líder português. 

    Mais:

    Atlético Nacional lota estádio em homenagem impressionante à Chapecoense (VÍDEO)
    Força Nacional evacua Estádio de Esportes Aquáticos após encontrar mochila suspeita
    Polícia evacua estádio em Hannover por ameaças à segurança
    Tags:
    acidente, futebol, Recreativo do Libolo, Santa Rita de Cássia, José Eduardo dos Santos, Marcelo Rebelo de Sousa, Portugal, Uíge, Angola
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar