14:44 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Véu

    Iraque: ativistas ameaçam armar assassinato de mulheres caso não usem 'roupas muçulmanas'

    © flickr.com/ DFID
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1708

    Desconhecidos da província de Maysan, localizada no sul do Iraque, estão ameaçando mulheres através das redes sociais de desonrá-las caso continuem se vestindo de maneira inapropriada.

    Os autores das ameaças colaram nas paredes das escolas e faculdades para mulheres fotografias de moças vestidas com hijab (conjunto de vestimentas preconizado pela doutrina islâmica), que foram tiradas sem elas saber. Os rostos das mulheres foram cobertos com tinta e, ao lado das fotos, os ativistas escreveram que mesmo com o hijab, há grandes dúvidas sobre a honra e decência das mulheres.

    Na página Basra do Facebook, os ativistas exigem que mulheres e meninas vistam roupas decentes, compostas de vestido longo e hijab, permitindo que mostrem somente rosto e mãos. Em qualquer lugar público, todas as mulheres devem se vestir assim para não demonstrar suas "vantagens", especialmente na "zona dos seios".

    Caso não cumpram, com ajuda do programa Photoshop, os rostos das desobedientes serão colados no corpo de mulheres nuas e o resultado será pregado nas ruas. Depois de tal ação, não haverá outra saída para os pais das moças a não ser matá-las para que se restabeleça a honra da família.

    O proprietário da página Basra explicou aos internautas que está agindo deste modo por razões patrióticas:

    "Nos últimos dez anos, ideais radicais vêm se popularizando, que, no âmbito do poder central enfraquecido, ganham força. Sim, radicalistas realizaram ameaças e assassinatos, mas isso supriu resultado. E agora um cidadão comum libertado do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) pode decidir que o poder governamental tornou-se fraco". De acordo com o dono da página, este problema será resolvido através de ameaça e limitação de liberdade dos iraquianos.

    A questão é: até onde "ameaças patrióticas" ajudarão o governo? Por um lado, mostram-se a favor da moralidade e decência dos residentes. Por outro, demonstram a capacidade de encontrar pornografia e usá-la contra a vida de muitas moças.

    Além disso, há um grande número de erros ortográficos na página Basra. É provável que o autor seja estrangeiro ou não alfabetizado.

    Mais:

    Escândalo diplomático: Iraque convoca o seu embaixador em Portugal
    'Vitória total está próxima': Iraque anuncia retomada da parte leste de Mossul
    Por que Arábia Saudita quer se juntar à luta contra Daesh na Síria e Iraque?
    Alemanha resolve passar mais um ano treinando militares e forças peshmerga no Iraque
    Coalizão, liderada pelos EUA, realizou 38 ataques aéreos na Síria e no Iraque
    Tags:
    autoridades, radicalismo islâmico, fotografias, ameaças, mérito, poder central, moral, mulheres, assassinato, redes sociais, Daesh, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik