07:06 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    11120
    Nos siga no

    Em véspera das negociações de paz sobre a Síria na capital do Cazaquistão, Astana, especialistas turcos compartilharam suas opiniões quanto a possíveis resultados das consultas, das quais participam a Rússia, Turquia, Irã e a oposição síria.

    Hasan Basri Kurt, integrante da Comissão de Relações Internacionais e deputado do Partido da Justiça e Desenvolvimento, informou à Sputnik Turquia que "o objetivo principal da Turquia é assegurar paz na Síria e a integridade territorial do país".

    Kurt expressa a esperança de que o país "ultrapasse a dor e consiga tratar os sofrimentos causados pela guerra":

    "A reunião em Astana é uma iniciativa crucial da Rússia e Turquia que visa alcançar a paz e estabilidade na Síria", frisou o deputado turco ao destacar que as negociações serão mais um passo após as recentes consultas em Genebra.

    Segundo Kurt, diferentemente de Genebra, os países da região desejam apresentar as suas iniciativas nas conversações. Ele espera que os participantes deste processo sejam capazes de chegar a um acordo sobre o cessar-fogo e restauração da paz na Síria.

    Ao mesmo tempo, outro interlocutor da Sputnik Turquia, Celalettin Yavuz, analista e ex-conselheiro para a política externa e segurança do Partido de Ação Nacionalista (MHP), assinala que "a Síria deve pertencer aos sírios" e que "muitos recrutas do Daesh que entraram na Síria para se juntarem a esse grupo terrorista são extremistas islâmicos estrangeiros".

    "O governo sírio e as Forças Armadas continuam sendo a maior força no país capaz de unir os vários grupos que operam na Síria", sublinhou Yavuz.

    Na opinião dele, Damasco deve assumir o papel de comandante-geral das operações contra o Daesh.

    Por fim, a meta principal das negociações em Astana é chegar a um acordo sobre participação de oficiais russos e turcos no combate a jihadistas e atrair a este processo alguns representantes da coalizão liderada pelos EUA, caso estes realmente queiram participar, conclui Yavuz.

    As negociações de paz entre a oposição armada e o governo sírios serão realizadas na capital do Cazaquistão, Astana, em 23 de janeiro. O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, foi convidado a participar. O encontro entre o governo sírio e as forças de oposição foi mediado pela Rússia, Turquia e Irã.

    Mais:

    Negociações sírias: delegações da Rússia, do Irã e da Turquia desembarcam em Astana
    Chefe da oposição armada: Militantes continuarão lutando se negociações em Astana falharem
    Tags:
    oposição, coalizão internacional, extremistas, terrorismo, consultas, negociações de paz, ONU, Daesh, Sputnik Turquia, Celalettin Yavuz, Staffan de Mistura, Damasco, Genebra, Síria, Turquia, EUA, Rússia, Cazaquistão, Astana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar