22:59 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Avião da coalizão internacional liderada pelos EUA

    Coalizão atua clandestinamente na Síria para evitar responsabilidade por morte de civis

    © AFP 2019 / US NAVY / MC2 JACOB G. SISCO
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1026
    Nos siga no

    As ações clandestinas da aviação dos EUA e da coalizão internacional na Síria permitiam, em caso de "erros", evitar a responsabilidade pela morte de civis, disse o representante oficial do Ministério da Defesa russo, major-general Igor Konashenkov.

    "A Força Aérea dos EUA e da coalizão internacional no âmbito da operação na Síria tenta agir de forma clandestina. Os nossos parceiros norte-americanos não gostam de notificar sobre os seus planos de uso militar dos aviões, indicando raramente apenas o período e região aproximada. Não indicam os tipos concretos de aviões e o seu país. Isso permitiu, em casos de 'erros' trágicos dos aviões, evitar a responsabilidade pela morte dos civis e pela destruição das infraestruturas civis", disse.

    Aviões de assalto russos Su-25 que regressaram para a Rússia da base aérea de Hmeymim na Síria, Primorsk-Ahtarsk, Rússia, 17 de março de 2016
    © Foto / Direção de imprensa e informações do Ministério da Defesa da Rússia
    Além disso, afirmou Konashenkov, frequentemente é impossível encontrar parceiros norte-americanos disponíveis através da linha telefónica especial para discutir assuntos referentes à Síria.

    Quanto às alegadas aproximações perigosas da aviação russa a aviões norte-americanos na Síria, Konashenkov afirmou que os pilotos russos agem de forma profissional.

    "Os pilotos russos lembram de forma regular aos pilotos norte-americanos e a outros pilotos da coalizão no céu da Síria que estes não estão sozinhos e não são invisíveis. Ao mesmo tempo, os nossos pilotos agem de forma muito profissional, observando todas as regras de segurança", sublinhou o militar russo.

    O major-general frisou que, durante as videoconferências conjuntas com representantes norte-americanos, estes nunca se queixaram das aproximações.

    A declaração foi feita em resposta à entrevista ao jornal The Wall Street Journal do general Charles Corcoran sobre as alegadas "aproximações perigosas" dos caças russos à aviação norte-americana na Síria.

    Mais:

    Mais de 20 civis morreram na Síria em 3 de janeiro após ataque do avião B-52 dos EUA
    Apoio militar dos EUA à oposição síria poderia levar ao pior, diz chefe da CIA
    Estudantes russos preparam uma tonelada de ajuda humanitária para a Síria
    Assad: Melhoria das relações russo-americanas será boa para a Síria
    Coalizão, liderada pelos EUA, realizou 38 ataques aéreos na Síria e no Iraque
    Tags:
    aproximação, aviação, avião, Força Aérea, Igor Konashenkov, EUA, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar