12:45 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados turcos estão em cima de tanque do exército turco de volta para a Turquia da cidade fronteiriça sírio-turca de Jarabulus em setembro na cidade fronteiriça turco-síria de Karkamis

    Estado-Maior turco diz ter eliminado 18 militantes do Daesh em um dia

    © AFP 2019 / BULENT KILIC
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    O Estado-Maior da Turquia comunicou nesta terça-feira que ao longo das últimas 24h foram liquidados 19 militantes do agrupamento terrorista Daesh no norte da Síria, no âmbito da operação Escudo de Eufrates.

    "Na sequência de ataques aéreos, nossa Força Aérea liquidou 27 instalações do Daesh, inclusive posições de defesa e sedes dos terroristas, nas regiões de Al-Bab e Suflânia. Em resultado das operações aérea e terrestre, foram eliminados 19 militantes, 3 posições de morteiro e 4 veículos equipados com armamentos", diz-se no comunicado do Estado-Maior turco citado pela agência RIA Novosti.

    Segundo informa o Ministério da Defesa do país, a Força Aérea turca também efetuou alguns ataques de artilharia e de tanques contra 340 alvos.

    O Exército da Turquia começou a operação Escudo de Eufrates contra os militantes do agrupamento terrorista Daesh em 24 de agosto, tendo libertado a cidade fronteiriça de Jarablus, no norte da Síria, com a participação da oposição síria. Hoje em dia, as forças turcas estão assediando a cidade de Al-Bab.

    Mais cedo, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que o objetivo da operação é expulsar os terroristas da faixa fronteiriça, um território de 5 mil quilômetros quadrados, e criar lá uma zona segura para instalar refugiados.

    Mais:

    'Turquia está usando base de Incirlik como ferramenta de pressão sobre Washington'
    Rússia e Turquia atacam posições do Daesh na Síria
    Exército da Turquia mata 22 militantes do Daesh na Síria
    Tags:
    militantes, operação, Escudo do Eufrates, Guerra Civil Síria, Daesh, Al-Bab, Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar