04:27 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Benjamin Netanyahu é suspeito de ter recebido propina de empresário e de ter fechado negócio irregular com empresa alemã

    Justiça de Israel abrirá investigação criminal contra Benjamin Netanyahu

    © REUTERS/ Petros Karadjias/Pool
    Oriente Médio e África
    URL curta
    131327114

    A Procuradoria-Geral de Israel autorizou a abertura de uma investigação formal contra o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, suspeito de fraude e suborno, segundo informou a TV israelense Channel 10 nesta quarta-feira.

    Presidente norte-americano Barack Obama e primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu
    © AP Photo/ Pablo Martinez Monsivais, foro de arquivo
    Por nove meses, a polícia de Israel vinha investigando secretamente uma série de denúncias contra o premier. Os documentos recolhidos até agora indicam que Netanyahu teria recebido propina na forma de doações de campanha para a eleição de 2009, que levou o líder do conservador Likud ao poder pela segunda vez. 

    De acordo com o Times of Israel, o primeiro-ministro é acusado de ter recebido 1 milhão de euros do empresário francês Arnaud Mimran, condenado a oito anos de prisão por fraude. Funcionários do governo ligados a Netanyahu negam a existência de irregularidade. 

    "Desde a vitória de Netanyahu nas últimas eleições e até mesmo antes, elementos hostis usaram esforços heroicos para tentar provocar sua queda, com falsas acusações contra ele e sua família. Esta (última tentativa) é absolutamente falsa. Não havia nada e não haverá nada", disse um porta-voz do premier em entrevista ao Haaretz

    Outra suspeita sobre o líder israelense estaria relacionada à compra de submarinos estrangeiros pelo Ministério da Defesa de Israel. As embarcações seriam adquiridas para ajudar na defesa do país contra um de seus maiores rivais, o Irã, que, por acaso, detém parte das ações da empresa fabricante, a alemã ThyssenKrupp. 

    Esse caso dominou o debate público em Israel nas últimas semanas. Conforme noticiou a mídia local, acredita-se que Netanyahu teria sido influenciado por conta das ligações de seu conselheiro pessoal, David Shimron, com a ThyssenKrupp, mesmo com muitas autoridades do setor da Defesa se opondo ao negócio. 

    Segundo o Channel 10, o primeiro-ministro deverá ser chamado para depor sobre essas duas investigações dentro de alguns dias. 

    Mais:

    Netanyahu: Aliança entre Israel e EUA sobreviverá a crise
    Discurso de Kerry foi 'uma grande decepção', diz Netanyahu
    Paquistão ameaça Israel com armas nucleares por causa de artigo falso
    Israel convoca embaixador dos EUA para consultas após voto sobre assentamentos
    'Israel foi abandonado pelos EUA aos inimigos mais hostis'
    Tags:
    Likud, Cannel 10, Haaretz, Times of Israel, ThyssenKrupp, David Shimron, Arnaud Mimran, Benjamin Netanyahu, Irã, Alemanha, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik