08:28 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Tanque T-72B3 do exército iraniano durante a competição de biathlon de tanque no polígono de Alabino, região de Moscou, Rússia (foto de arquivo)

    'Encontro de hoje é um passo para criação do mundo tripolar'

    © Sputnik/ Maksim Blinov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16331

    O major-general aposentado turco Nejat Eslen chamou o assassinato do embaixador russo na Turquia de provocação planejada e sublinhou que as forças ocidentais querem obstaculizar a busca conjunta da resolução da crise síria pela Rússia, Turquia e Irã.

    "O Ocidente considera a Rússia, que é representada por Putin, e a Turquia encabeçada por Erdogan como os seus alvos principais. A União Europeia aplica sanções contra a Rússia. O secretário da Defesa dos EUA chama o Daesh e a Rússia de ameaças principais", disse Eslen à Sputnik Turquia, acrescentando que a Turquia também está em uma posição muito difícil.

    Na opinião do militar turco, esta situação obrigou os três países – Rússia, Irã e Turquia – a organizar uma reunião trilateral e o Ocidente não conseguiu aceitar isso.

    Segundo Eslen, o encontro de hoje cria uma base para a construção de um novo polo geopolítico.

    "No contexto de dois polos de poder que são EUA e China, as ações conjuntas da Rússia, Irã e Turquia contribuirão para formação do novo polo geopolítico. Neste caso o mundo se tornará tripolar. É isso que o Ocidente não consegue aceitar, tentando fazer tudo para prevenir isso. Eu analiso o incidente trágico de ontem deste ponto de vista", disse.

    O militar aposentado turco indicou também os planos dos EUA de criar um estado curdo independente ao norte da Síria. Na sua visão, é possível resolver estes problemas formando alianças regionais. É por isso que a cooperação entre a Turquia, Rússia e Síria tem uma grande importância.

    Mais:

    Hegemonia mundial dos EUA? Pois, 'Rússia já não é aquele país fraco que era nos anos 90'
    Tags:
    resolução, encontro, Ocidente, Síria, Rússia, Irã, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik