16:51 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2181
    Nos siga no

    A Rússia entregou mais de 40 toneladas de prendas às crianças sírias, tendo estas sido recolhidas no âmbito da campanha “Das crianças da Rússia para as crianças da Síria” e transportadas para a base aérea Hmeymim, comunicou o Ministério da Defesa russo.

    "Mochilas com balas, artesanato e artigos de papelaria foram recolhidas por… cadetes, alunos do Colégio Interno do Ministério da Defesa e crianças das escolas de Tula, Moscou, Vladimir, Vologda, Tver, Kaluga, Kostroma e outras regiões", disseram no Ministério.

    Os funcionários do Centro russo para a Reconciliação na Síria que fica na base de Hmeymim estão entregando as prendas para as crianças de todas as regiões controladas pelo governo.

    A Rússia tem fornecido constantemente ajuda humanitária aos sírios que têm sido gravemente afetados pela guerra civil no país.

    A Síria está mergulhada na guerra civil desde 2011, dado que as forças governamentais lutam contra os grupos da oposição síria que aspiram por derrubar o presidente. Além disso, Damasco está combatendo uma série de grupos extremistas e terroristas, tais como a Frente Fatah al-Sham ou o Daesh (ambos são proibidos na Rússia).

    Segundo diz a ONU, ao menos 30 mil sírios morreram desde o início do conflito.

    As primeiras crianças a receber a ajuda humanitária russa na parte oriental de Aleppo
    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    As primeiras crianças a receber a ajuda humanitária russa na parte oriental de Aleppo

    Mais:

    Cerca de 400 rebeldes e familiares são evacuados de Aleppo
    'Menina de Aleppo' que viralizou no Twitter é 'exemplo flagrante de propaganda'
    Reino Unido promete enviar US$ 12 milhões em ajuda humanitária para a Síria
    Tags:
    crianças, presentes, ajuda humanitária, Guerra Civil Síria, Exército Árabe Sírio, Ministério da Defesa (Rússia), Daesh, Centro para a Reconciliação na Síria russo, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar