23:26 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Civis sírios deixam zonas controlados por extremistas, Aleppo, 13 de dezembro

    Começou retirada de 5 mil militantes e suas famílias de Aleppo oriental

    © AFP 2019/ KARAM AL-MASRI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    4101
    Nos siga no

    A retirada de 5 mil militantes e membros de suas famílias dos bairros de Aleppo oriental começou em 15 de dezembro, informou o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, general do Exército Valery Gerasimov.

    "Por decisão do Supremo Comandante das Forças Armadas da Federação da Rússia, o presidente Vladimir Putin, hoje foi iniciada a retirada de 5 mil militantes e membros das suas famílias dos bairros de Aleppo oriental", comunicou Gerasimov durante um briefing para adidos militares estrangeiros credenciados na Rússia.

    "Foi organizado um corredor humanitário para a retirada dos militantes. O corredor tem uma extensão de 21 quilômetros, desse total 6 quilômetros passam pelo território de Aleppo ocupado pelas forças do governo sírio e 15 quilômetros  — em direção oeste – pelo território controlado por grupos armados ilegais", informou Gerasimov.

    Segundo ele, estão sendo usados 20 ônibus de passageiros e 10 ambulâncias, para além de cerca de 100 automóveis dos próprios militantes.

    Gerasimov acrescentou que mais de 2 mil militantes provenientes da Rússia e dos países da Comunidade de Estados Independentes (CEI) foram eliminados na Síria ao longo deste ano.

    De acordo com ele, "a Rússia empreendeu passos práticos concretos para ultrapassar os desafios à sua segurança".

    "A atenção foi focada na luta contra o terrorismo na Síria, nos esforços de não permitir o retorno ao nosso país de militantes que passaram a 'escola militar de jihadistas' no Oriente Médio e no norte do continente africano", ressaltou Gerasimov durante o briefing.

    Segundo Gerasimov, 1.057 povoados assinaram o acordo com o Centro para a Reconciliação na Síria russo sobre a adesão ao processo de reconciliação no país, 94 grupos de oposição se juntaram ao regime de cessação de ações militares na Síria. Além disso, 3.674 militantes foram levados do subúrbio de Damasco para Idlib.

    "No âmbito da atividade do Centro [para a Reconciliação na Síria russo] a prática de acordos escritos de cessar-fogo, firmados com os governos locais e grupos armados, continua mostrando sua eficácia", sublinhou o general russo.

    Gerasimov destacou que os povoados de Han-ash-Shih e Et Tell, situados no subúrbio de Damasco e que antes eram controlados por militantes, estão completamente libertados dos grupos criminosos.

    "Um total de 5.744 pessoas foram levadas a Idlib, incluindo 3.674 militantes e membros das suas famílias. Foram anistiadas 3.724 pessoas que preferiram voltar à vida pacífica", sublinhou o general.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Poroshenko: UE deve impor sanções à Rússia por suas ações em Aleppo
    Militantes estão sendo evacuados de Aleppo
    Tags:
    corredor humanitário, famílias, militantes, jihadistas, retirada, Centro para a Reconciliação na Síria russo, Valery Gerasimov, Vladimir Putin, Aleppo oriental, Idlib, Damasco, Oriente Médio, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar