06:28 08 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    5121
    Nos siga no

    O Centro para a Reconciliação na Síria russo informou na quinta-feira (15) que "está acompanhando a situação em Aleppo usando drones e câmeras de vídeo".

    O Centro comunicou que "a saída dos militantes de Aleppo se realizará por 20 ônibus e 10 veículos de ambulância via um corredor em direção à cidade de Idlib".

    As ambulâncias com militantes feridos serão acompanhadas por representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, sob a chefia de oficiais do Centro para a Reconciliação na Síria russo.

    A entidade informou que "o governo sírio garante a segurança de todos os combatentes dos grupos armados que decidiram abandonar os bairros de Aleppo oriental".

    Segundo o centro, "os preparativos para a retirada dos restantes militantes e membros das suas famílias estão sendo realizados por ordem do presidente russo Vladimir Putin".

    Na quarta-feira (14) a saída dos militantes da cidade fracassou devido ao reinício dos confrontos armados. Segundo o canal Al Mayadeen, estava prevista a retirada de cinco mil militantes e membros de suas famílias de Aleppo. O centro informou que os líderes dos terroristas não cumpriram os acordos, tentaram avançar, mas seu ataque foi repelido. Durante um dia o exército sírio observou o cessar-fogo, conforme foi acordado com os militantes.

    Desde o final de novembro o exército sírio e as milícias efetuam uma operação para eliminar os grupos armados em Aleppo oriental. Em 14 de dezembro o Centro para a Reconciliação na Síria russo informou que os militantes controlam uma área não superior a 2,5 quilômetros quadrados.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Lavrov: Governo sírio estaria pronto para deixar rebeldes saírem de Aleppo
    Em Aleppo, 'pessoas recebem militares sírios como heróis' (FOTOS)
    Tags:
    combatentes, corredor humanitário, militantes, retirada, saída, Centro para a Reconciliação na Síria russo, Vladimir Putin, Aleppo oriental, Idlib, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar