13:00 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Civis sírios deixam zonas controlados por extremistas, Aleppo, 13 de dezembro

    Quase 6 mil civis são retirados em um dia das áreas de Aleppo controladas por terroristas

    © AFP 2019/ KARAM AL-MASRI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    0 31

    De acordo com Centro russo para a Reconciliação na Síria, durante as últimas 24 horas, 5.992 civis, entre eles 2.210 crianças, deixaram os bairros de Aleppo que ainda estão sob controle de terroristas.

    "Durante últimas 24 horas, com ajuda do Centro russo para a Reconciliação, foram retirados dos bairros de Aleppo controlados por extremistas 5.992 civis, inclusive 2.210 crianças", se diz no comunicado do Centro.

    Todos os civis foram acomodados nos centros humanitários, onde recebem comida quente e ajuda médica, quando necessária.

    Para além disso, 366 extremistas depuseram as armas e partiram para a parte ocidental de Aleppo, informa Centro russo.

    "Um total de 366 extremistas entregaram as armas e partiram para a parte ocidental da cidade. De acordo com a decisão do presidente sírio, Bashar Assad,  329 deles foram anistiados".

    Em Aleppo oriental, os sapadores russos neutralizaram minas em 16 hectares, verificaram 45 prédios e desativaram  explosivos em 8,7 km de rodovias.

    Durante as últimas três semanas, tropas sírias e a milícia libertaram a maior parte do território de Aleppo oriental, dominado pelos terroristas em 2012. Segundo as fontes, atualmente exército sírio controla 98% de Aleppo oriental.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Fonte na Síria revela plano de retirada dos terroristas e seus familiares de Aleppo
    Por que a China aumenta sua influência na Síria?
    Rússia registra 36 violações do cessar-fogo na Síria nas últimas 24 horas
    Obama pede medidas para diminuir violência em Aleppo
    Governo de Aleppo: combates cessaram a partir da noite de terça
    Tags:
    terrorista, Centro Russo para a Reconciliação Síria, Síria, Aleppo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar