07:45 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    8222
    Nos siga no

    Mais de 95% de território de Aleppo já está controlado pelas forças do governo sírio, informou na segunda-feira (12) o Centro para a Reconciliação na Síria russo.

    "Durante as últimas 24 horas, as Forças Armadas sírias libertaram três quartos de Aleppo oriental. Assim, mais de 95 por cento do território de Aleppo está sob controle do governo. A área total do leste da cidade onde os rebeldes permanecem não supera os 10 quilômetros quadrados", diz-se no comunicado.

    Anteriormente foi informado que, em 24 horas, mais de 13 mil civis foram evacuados das zonas de Aleppo controladas por militantes.

    Conforme foi informado, "em 24 horas, 13.346 civis, incluindo 5.831 crianças, foram evacuados com o apoio do Centro para a Reconciliação na Síria russo das zonas de Aleppo que continuam sendo controladas por militantes".

    © Sputnik
    Drone mostra bairros de Aleppo libertados dos rebeldes armados

    De acordo com o comunicado, 728 militantes se renderam e abandonaram Aleppo oriental.

    Os militares russos realizaram a desminagem de 7 hectares do território do leste de Aleppo, incluindo uma mesquita, escolas e estradas.

    Em 10 de dezembro, o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, informou que especialistas militares russos e americanos alcançaram um acordo sobre a retirada dos combatentes radicais de Aleppo.

    Desde o início da operação das forças sírias em Aleppo, mais de 100 mil civis, incluindo 40 mil crianças foram evacuados. No total 2.215 militantes depuseram as armas, 2.137 dos quais foram anistiados.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Rússia ainda não alcançou acordo com EUA sobre saída de terroristas de Aleppo
    Rússia: 50 mil civis saíram de Aleppo oriental em dois dias
    Tags:
    desminagem, forças sírias, militantes, rebeldes, Centro para a Reconciliação na Síria russo, Forças Armadas, Aleppo, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar