10:19 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Fuzileiros navais norte-americanos em al-Qaim, perto da fronteira síria, oeste do Iraque

    Coalizão pretende permanecer no Iraque após a derrota do Daesh

    © AFP 2018 / USMC
    Oriente Médio e África
    URL curta
    505

    A coalizão internacional precisa permanecer no Iraque após o fim da operação contra jihadistas do Daesh (Estado Islâmico), a fim de evitar o surgimento de novos grupos terroristas, declarou à Reuters o general americano Stephen Townsend.

    Responsável pelas operações da coalizão no Iraque, ele destacou que os terroristas já demonstraram a capacidade de se reagrupar em outras ocasiões.

    "Não estou prevendo o futuro. Mas eu sei, que eles já demonstraram a capacidade de retornar. Al-Qaeda deu origem ao Daesh (ambos proibidos na Rússia) no Iraque", declarou Townsend a bordo do porta-aviões francês Charles de Gaulle.

    "Dessa vez, nós precisamos agir de outra forma, de modo com que o Daesh não origine um outro grupo extremista que  tome conta do Iraque. Precisamos garantir que teremos uma presença significativa e uma parceria entre a coalizão e o Iraque no futuro", explicou o general.

    A mesma opinião chegou a ser defendida pelo almirante francês Olivier Lebas. "'E muito importante permanecermos o maior tempo possível [no Iraque], para nos certificarmos da destruição do Daesh. É uma etapa muito importante", disse o militar à Reuters.

    Leia também: 'Militares americanos têm que permanecer no Iraque mesmo depois da eliminação do Daesh'

    Mais:

    Coalizão dos EUA afirma ter alcançado progresso na Líbia
    Moscou: coalizão liderada pelos EUA negligencia civis em Mossul
    Caças da coalizão liderada pelos EUA atacam aldeia de Raqqa; pelo menos dez civis mortos
    Tags:
    coalizão, coalizão internacional, Stephen Townsend, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik