08:47 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Esta foto de 5 de dezembro de 2016 mostra o que restou do hospital militar russo atingido por bombardeio em Aleppo

    'Assassinos das médicas e os seus chefes do Ocidente devem ser castigados'

    © Sputnik/ Mikhaikl Alaeddin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ataque a hospital russo em Aleppo (13)
    1173

    O senador russo, Rostislav Goldshtein, espera que os assassinos das médicas russas em Aleppo sejam castigados de forma justa, informou a assessoria de imprensa do senador.

    "Estes animais são desprovidos de bondade, mesmo se encobrindo com lemas sobre crença e liberdade. Pois o que crê e possui sentimento de justiça, nunca levantaria a mão… para alguém que salva a vida dos outros. Era essa – salvar vidas – a missão das nossas meninas. Trabalhavam com todo afinco em difíceis condições, não aceitas por muitos homens. Somente pessoas corajosas e leais ao seu trabalho são capazes de assumir tal responsabilidade e cumprir com honra o dever que assumiram voluntariamente, socorrer vítimas apesar dos perigos e ameaça à sua própria vida", disse Golshdtein, senador da câmara alta do parlamento russo, à Região Autônoma Judaica, onde foram mortas médicas russas mortas em bombardeio.

    Segundo Goldshtein, "a tragédia que aconteceu em 5 de dezembro é um grande pesar para todos nós, uma perda que não pode ser compensada, uma dor aguda na alma. <…> quero acreditar e estar seguro que o castigo encontrará estes assassinos infames e desumanos, bem como os seus chefes que estão nos seus gabinetes confortáveis no Ocidente, que criaram estas pessoas para os seus interesses, deram armas para elas e tentam protegê-las do castigo merecido".

    Na segunda-feira (5), o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, disse que militantes da chamada "oposição" síria atacaram o hospital móvel russo em Aleppo, que resultou na morte de duas médicas militares russas e deixou ferido outro médico. Além deles, o ataque atingiu residentes locais que aguardavam atendimento médico.

    Ambas as médicas serviam no hospital de Birobidzhan, capital da Região Autônoma Judaica.

    O Comitê Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho declarou que tais ataques comprovam que as partes beligerantes não são capazes de proteger os médicos.

    Tema:
    Ataque a hospital russo em Aleppo (13)

    Mais:

    Kremlin: Terroristas realizaram um ataque de alta precisão contra hospital em Aleppo
    Rússia e China bloqueiam resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre Aleppo
    Duas médicas são mortas, 1 pessoa é ferida após ataque a hospital russo em Aleppo
    Chanceler russo: militantes que ficarem em Aleppo serão considerados terroristas
    Tags:
    castigo, médicos, morte, hospital, ataque, Aleppo, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik