13:50 27 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    191
    Nos siga no

    Segundo informou o Centro para a Reconciliação na Síria russo, mais de cem militantes cessaram a resistência e abandonaram a parte leste da cidade de Aleppo.

    Segundo o centro, mais de 3.000 prédios e 10 bairros foram libertados da Frente al-Nusra e de grupos radicais que aderiram a essa organização terrorista.

    O Centro para a Reconciliação na Síria russo revelou que, em 24 horas, 3.200 civis, incluindo 1.500 crianças, abandonaram a parte leste de Aleppo.

    De acordo com o centro, durante a última hora os militantes foram expulsados do bairro mais importante do leste de Aleppo — Al-Kadisia. Além disso, dez bairros da cidade foram libertados dos terroristas da Frente al-Nusra.

    "O Centro Russo para a reconciliação na Síria continua providenciando ajuda humanitária aos bairros do leste de Aleppo libertados de terroristas. No total, durante as últimas 24 horas, 3.179 civis, incluindo 1.519 crianças (entre as quais 138 bebês de colo), abandonaram a parte leste da cidade", diz-se no comunicado do centro.

    Na véspera foram realizadas três ações humanitárias em Aleppo destinadas a civis. Os residentes dos bairros de Al-Ashrafiya e Hananu al-Amalia receberam cargas humanitárias (cerca de uma e três toneladas, respectivamente), e os civis do povoado de Hadida e da província de Homs (uma tonelada), acrescentou  o centro.

    Além disso, o centro instalou em Aleppo 150 cozinhas de campo adicionais para os civis.

    Segundo o centro, os civis estão sendo transferidos para centros humanitários instalados em conjunto com o governo sírio, estão sendo providenciados assistência médica, alimentação, roupa e outros objetos de primeira necessidade.

    Mais:

    Moscou: novos civis conseguem deixar Aleppo em segurança
    Militantes em Aleppo atacaram civis com gás mostarda, dizem especialistas militares russos
    Tags:
    Rússia, Síria, Aleppo, Homs, Frente al-Nusra, ajuda humanitária, terroristas, civis, reconciliação, exército sírio, abandono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar