06:41 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Major-general Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia

    Ministério da Defesa russo: combate ao terrorismo na Síria não era objetivo dos EUA

    © Sputnik/ Aleksandr Vilf
    Oriente Médio e África
    URL curta
    193060322

    Durante um ano de operações na Síria, a Rússia conseguiu fazer algo com que até hoje a coalizão internacional liderada pelos EUA apenas podia sonhar, informou o porta-voz do Ministério da Defesa russo, major-general Igor Konashenkov, na quinta-feira (24).

    De acordo com ele, o apelo do Departamento do Estado dos EUA para que não se preste assistência aos petroleiros russos que fornecem combustível à Força Aeroespacial da Rússia na Síria confirma que o combate ao terrorismo não era o objetivo da administração do presidente norte-americano Barack Obama.

    Antes, o representante do Departamento de Estado dos EUA Mark Toner pediu abertamente aos outros países para não prestarem apoio aos navios russos que fornecem combustível ao grupo aéreo na Síria.

    "Tais declarações do representante do Departamento dos EUA, infelizmente, confirmam as nossas estimativas anteriores de que a luta contra o terrorismo na Síria nunca foi o objetivo da administração cessante dos EUA. Apenas anteriormente a obstrução dos EUA à luta contra o Daesh e a Frente al-Nusra se manifestava na demora de quaisquer negociações, no não cumprimento do compromisso de separar a oposição dos terroristas, nas promessas constantes de providenciar informações sobre militantes, etc.", destacou o porta-voz do ministério.

    Segundo Konashenkov, agora (o representante do Departamento do Estado dos EUA) Mark Toner pediu abertamente aos outros países para impedirem que o nosso grupo aéreo combata o terrorismo internacional na Síria "para nivelar de alguma forma os fracassos da política norte-americana nesse país desde 2014", conclui Konashenkov.

    Segundo ele, mais de dois mil povoados voltaram à vida pacífica e 86 grupos armados cessaram suas ações militares.

    "Centenas de milhar de sírios retornaram às suas casas em todo o país para reconstruir sua vida pacífica", destacou Konashenkov.

    "Por isso, se vocês não podem ou não querem combater o Daesh e a Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia), pelo menos não atrapalhem. O nosso grupo da Força Aeroespacial da Síria tem tudo o que é necessário para combater com eficácia o terrorismo internacional nessa região", concluiu Konashenkov.

    Na quinta-feira (24), a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia Maria Zakharova anunciou durante um briefing em Moscou:

    "Achamos que tal desculpabilização de grupos criminosos pela administração dos EUA e seus aliados, destes grupos criminosos que eles têm alimentado há vários anos, isso nós sabemos, já falámos sobre isso, faz parte da cumplicidade com o terrorismo internacional."

    Segundo ela, esses países mais uma vez "demonstraram sua preferência pela abordagem seletiva e conjuntural quanto à qualificação da atividade de indivíduos e organizações como terroristas".

    Mais:

    Por que todo Oriente Médio lucrará com base naval russa na Síria?
    EUA comentam uso de armas químicas na Síria
    Tags:
    combate ao terrorismo, grupos armados, sucesso, combustível, administração, Departamento de Estado dos EUA, Força Aeroespacial da Rússia, Daesh, Frente al-Nusra, Ministério das Relações Exteriores, Mark Toner, Maria Zakharova, Igor Konashenkov, Barack Obama, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik