21:17 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado do Exército Sírio com o retrato do presidente Bashar Assad perto da fronteira líbano-síria

    Exército sírio reconquista bastião-chave de radicais perto de Damasco

    © Sputnik / Dmitriy Vinogradov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2171
    Nos siga no

    Os combatentes do Daesh cercados pelo Exército Sírio em um dos principais pontos de resistência a sudoeste de Damasco, na cidade de Khan al-Shih, aceitaram as condições do governo quanto à capitulação, diz o jornal próximo das autoridades sírias Al-Watan.

    De acordo com as condições, os membros do agrupamento terrorista Frente Fatah al-Sham (ex-Frente al-Nusra) devem deixar todas as posições ocupadas e entregar aos militares todos os armamentos em sua posse.

    As forças governamentais cercaram Khan al-Shih (situada 26 km a sudoeste de Damasco) no início de outubro. Ao longo de pouco menos de 2 meses os radicais, cuja retirada para a fronteira jordana estava completamente bloqueada, tentaram repetidas vezes romper o cerco em várias direções ao mesmo tempo, sendo seus ataques acompanhados por fortes bombardeamentos de artilharia.

    Entretanto, nenhum terrorista conseguiu escapar da cidade, já que após cada ofensiva suas forças ficavam cada vez mais presas na cidade e suas forças sofriam danos significativos.

    Ao longo da última semana, os militares do Exército Sírio encontraram na região de Khan al-Shih uma rede de túneis subterrâneos, cuja extensão era cerca de 700 metros. Os terroristas usavam-nos para armazenamento e transporte de armamentos e munições visando organizar atos de sabotagem nos arredores sudoestes de Damasco.

    Segundo diz Al Watan, no dia seguinte os militares tomaram o controlo de uma quinta nos subúrbios de Khan al-Shih, tendo capturado um grupo de radicais. Como o jornal Al-Watan já assinalou, após um interrogatório, os extremistas comunicaram aos militares a localização de mais uma rede de túneis que liga a cidade com a povoação de Marran, na região da Ghouta Ocidental.

    O conflito armado sírio dura desde março de 2011, sendo que as forças do governo enfrentam combatentes de vários agrupamentos armados. Segundo diz a ONU, 300 mil sírios foram mortos durante todo o período das hostilidades.

    Mais:

    Quando Tartus na Síria se tornará uma plena base naval russa?
    Força Aérea síria elimina dezenas de militantes do Daesh
    Obama não está otimista sobre as perspectivas de solução do conflito na Síria
    Tags:
    cerco militar, terrorismo islâmico, reconquista, retirada, Guerra Civil Síria, Al Watan, Exército Árabe Sírio, Bashar Assad, Damasco, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar