21:33 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Imagem do drone russo tirada na povoação de Hass na província síria de Idlib

    Ministério russo: relatório sobre bombardeio de escola é desinformação deliberada

    © Sputnik/ Ministério da Defesa da Rússia
    Oriente Médio e África
    URL curta
    459834

    As acusações por parte da organização não-governamental Human Rights Watch contra a Rússia sobre seu alegado envolvimento no bombardeio da escola na província síria de Idlib em 26 de outubro é mais uma jogada da mídia.

    Essa declaração foi feita pelo porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov. Segundo ele, todas as provas que negam tais alegações foram apresentadas oportunamente.

    "Passada uma semana, a publicação de novas acusações por parte do Human Rights Watch sobre "crimes de guerra", onde são dadas como "provas" são certas "entrevistas" telefônicas de sete feridos, não a nenhuma crítica e representa mais uma jogada informacional", destacou Konashenkov.

    O porta-voz russo fez lembrar que, em 27 de outubro, o Ministério da Defesa russo publicou dados abrangentes em forma de fotos a partir de um drone que provam a ausência de sinais de bombardeio do prédio da escola. Além disso, até o momento não foram representadas evidências algumas da presença de crianças não só no prédio, mas também na povoação de Hass.

    Konashenkov destacou que "não é pelo primeiro ano que a província de Idlib é controlada completamente por terroristas da Frentre al-Nusra (proibida na Rússia e em vários outros países)". Segundo ele, seria absurdo esperar que escolas civis construídas pelo governo de Bashar Assad funcionassem no território controlado pela Al-Qaeda, quando decorrem ações militares.

    Vale lembrar que, em 27 de outubro, o Ministério da Defesa russo desmentiu a informação da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) sobre o ataque contra a escola. Konashenkov anunciou na altura que a filmagem aérea detalhada da povoação de Hass na província de Idlib indica que "não foi causado nenhum dano ao telhado da escola ou que haja indícios da explosão de bombas aéreas no bairro adjacente à escola". Konashenkov frisou que as imagens de vídeo sobre o alegado ataque contra a escola publicadas em várias fontes da mídia estrangeira são uma montagem de mais de dez fragmentos, destacando que no dia 26 de outubro nenhum avião da Força Aeroespacial russa entrou nesse bairro.

    Não é a primeira vez que o Ocidente acusa o governo sírio e russo de ataques contra estruturas civis e a assim chamada oposição moderada, sem apresentar provas algumas.

    A Rússia qualifica tais alegações de infundadas, tendo reiterado em várias ocasiões que todos os ataques são realizadas somente contra terroristas e com base em dados de inteligência.

    Mais:

    Foguetes do exército sírio fazem terroristas fugir de Latakia para Idlib (VÍDEO)
    Número de mortos do ataque aéreo em Idlib sobe para 58
    Tags:
    provas, ataque, relatório, escola, Força Aeroespacial da Rússia, Frente al-Nusra, Ministério da Defesa (Rússia), Human Rights Watch, Unicef, Al-Qaeda, Idlib, Síria, Ocidente, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik