17:00 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Entrevista coletiva da representante oficial da chancelaria russa Maria Zakharova

    Maria Zakharova exige desculpas por fotos fraudulentas

    © Sputnik/ Kirill Kallinikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    30231

    Depois de feita uma análise pormenorizada por peritos, se verificou que as fotos de uma escola bombardeada no povoado sírio de Haas foram fabricadas.

    Fotos de uma escola bombardeada no povoado sírio de Haas (província de Idlib) acabaram por ser resultado de uma computação gráfica. Isso foi comunicado pela representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, na sua página do Facebook.

    “Hoje (28 de outubro — Sputnik), a análise pericial das fotografias feitas no povoado sírio de Haas mostrou que não houve nem um bombardeamento da escola, nem baixas civis. Estas fotos são uma computação gráfica. Os estudantes mortos acabaram por ser uma fantasia horrível de "ativistas", da Al Jazeera e do The Independent", frisou ela em um comunicado.

    Zakharova também citou o chanceler francês, Jean-Marc Eyraud, que atribuiu a responsabilidade pelos ataques aéreos contra a escola sobre os ombros de Moscou ou Damasco.

    "As pessoas decentes pedem desculpas em casos destes. Veremos", disse a diplomata.

    Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov chamou de fraude os dados sobre a alegada culpa da Rússia e da Síria pelo bombardeamento da escola em Idlib.

    Mais:

    Rússia registra drone de ataque dos EUA na área onde escola de Idlib foi bombardeada
    Força Aérea síria elimina 20 terroristas na província de Idlib
    Rússia: EUA e parceiros provocam mortes em massa na Síria desde 2015
    Tags:
    fraude jornalística, Guerra Civil Síria, The Independent, Al Jazeera, Jean-Marc Eyraud, Sergei Lavrov, Maria Zakharova, Moscou, Damasco, Haas, Idlib, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik