01:25 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    123
    Nos siga no

    Representante oficial do Minestério da Saúde do Iêmen, Tamim Al Shami, declarou que o país sofre com a falta de alimento para crianças por causa da operação militar da coalizão árabe, chefiada pela Arábia Saudita.

    Além disso, Tamim Al Shami disse à Sputnik Árabe, que, devido ao bloqueio marítimo e terrestre, a importação de alimentos, medicamentos e equipamentos médico-hospitalares caiu drasticamente.

    "Al Wadiah é o único posto de passagem [de alimentos e medicamentos] que funciona entre Iêmen e Arábia Saudita. A importação de mercadorias diminuiu em 25% depois do início do ataque, sendo este um recorde dos últimos anos", disse Tamim Al Shami.

    Ele adicionou que a Arábia Saudita continua atacando hospitais e pontos humanitários, impossibilitando o funcionamento dos mesmos.

    "Mais de 60% dos nossos equipamentos médicos foram destruídos na maior parte das regiões do país, por isso a situação na área da saúde pública se agravou significativamente. Também piorou o estado das fontes de água que propagam doenças e epidemias", frisou o representante oficial do Ministério da Saúde do Iêmen.

    Al Shami exigiu que as organizações internacionais e as comunidades internacionais auxiliem imediatamente na abertura de caminhos terrestres, marítimos e aéreos para solucionar a falta de alimentos e medicamentos.

    Mais:

    ONU é alvo de protestos em massa no Iêmen por 'cumplicidade' com bombardeios sauditas
    Reino Unido treinou pilotos sauditas que participaram do ataque no Iêmen
    Ministro britânico: ataque das forças sauditas contra Iêmen foi um 'erro intencional'
    Tags:
    crise humanitária, crise de alimentos, fome, saúde pública, Arábia Saudita, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar