08:22 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15153
    Nos siga no

    A aviação russa e síria suspenderam os ataques aéreos em um raio de 10 km ao redor de Aleppo em 18 de outubro e ainda não os reiniciaram, afirmou o chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, Sergei Rudskoy.

    Pausa humanitária em Aleppo

    "Desde 18 de outubro que numa zona de 10 km ao redor de Aleppo os voos da Força Aeroespacial da Rússia e da Força Aérea da Síria foram parados completamente. Esta pausa está sendo observada até agora", disse Rudskoy.

    Ele lembrou também que a situação mais difícil na Síria ainda permanece em Aleppo. "Criamos todas as condições para normalizar a situação na cidade", sublinhou Rudskoy.

    "O moratório aos ataques da aviação russa e síria ao redor desta cidade será prorrogado", disse.

    Monitoramento da situação na fronteira entre Síria e Iraque 

    Além disso, ele sublinhou que a Rússia está monitorando a situação na fronteira sírio-iraquiana.

    "A Força Aeroespacial russa realiza uma vigilância de 24 horas sobre a situação na região da fronteira sírio-iraquiana com ajuda de drones e outros meios de reconhecimento. Aviões russos realizam voos de patrulha e estão prontos a realizar ataques imediatos contra terroristas", disse o militar russo.

    "A fuga de militantes do Daesh do território do Iraque para a Síria continua. Segundo a informação da qual dispomos, cerca de 300 militantes do Daesh, provenientes de Mossul, já chegaram a cidade de Deir ez-Zor", disse o militar durante o briefing, parcialmente transmitido pela emissora Rossiya 24.

    Além disso, Rudskoy destacou que em 2 de outubro o canal Euronews acusou a Rússia de um ataque aéreo contra o hospital Sahur, no leste de Aleppo, que alegadamente destruiu o edifício. Entretanto, na foto via satélite recebida em 24 de setembro, ou seja, antes do dia do alegado ataque, apresenta o hospital Sahur. A foto feita em 11 outubro mostra o hospital que alegadamente foi atacado, mas não existe qualquer diferença no seu estado, disse Rudskoy.

    Ataques da coalizão internacional contra instalações civis

    Há dados de que em resultado dos ataques da coalizão liderada pelos EUA em Mossul foram mortas 60 pessoas, outras 200 ficaram feridas. 

    "Assim, em 21 de outubro, um avião da Força Aérea dos EUA realizou um ataque contra uma escola para meninas <…> no sul de Mossul", disse Rudskoy.

    Homens com crianças fogem dos bombardeios em Aleppo, 11 de setembro de 2016
    © AFP 2020 / AMEER ALHALBI
    No domingo (23), as tropas governamentais sírias iniciaram uma ofensiva no sul de Aleppo depois do fim da pausa humanitária de três dias, durante a qual combatentes e residentes da cidade podiam abandonar a cidade. Os terroristas se recusaram a sair da cidade e proibiram os civis de o fazer. A pausa humanitária em Aleppo entrou em vigor em 20 de outubro. Para a saída da cidade foram criados oito corredores — seis para civis e dois para militantes. 

    Segundo várias informações, nos bairros orientais de Aleppo há até 7 milhares de terroristas de diferentes grupos armados.

    Tags:
    provas, pausa humanitária, ataque aéreo, civis, terroristas, fronteira, Sergei Rudskoy, Aleppo, Mossul, Iraque, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar