00:49 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ofensiva da Turquia na Síria

    Exército turco diz ter destruído 51 alvos curdos na Síria

    © REUTERS / Assessoria de Imprensa das Forças Revolucionárias da Síria
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10210
    Nos siga no

    As forças militares turcas atingiram 51 posições do Partido da União Democrática (PYD) curdo no norte da Síria, de acordo com a declaração do Estado-Maior General da Turquia.

    As forças militares turcas conduziram ataques contra oito alvos do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia) e contra 51 unidades das forças curdas de autodefesa nas últimas 24 horas como parte da operação Escudo do Eufrates no norte da Síria, anunciou o Estado-Maior General da Turquia neste domingo (23). 

    "As nossas Forças Armadas atingiram oito posições do Daesh e 51 posições do Partido da União Democrática (PYD). A oposição síria continua realizando a operação para fazer os militantes do PYD abandonarem três povoações a sul da cidade de Marea. Os combates provocaram quatro mortos e ferimentos em 20 combatentes da oposição. Três militantes do PYD foram eliminados", disse o Ministério da Defesa turco.

    De acordo com o Estado-Maior, os ataques aéreos turcos resultaram na liquidação de 11 militantes do Daesh e na destruição de quatro edifícios controlados pelo Daesh.

    Em 24 de agosto, as forças turcas, apoiadas por aeronaves da coalizão liderada pelos Estados Unidos, começou uma operação militar apelidada de Escudo do Eufrates com o objetivo de liberar o território de terroristas e criar uma zona de segurança para instalar os refugiados. 

    Ancara considera o PYD e seu braço militar YPG (Unidades de Proteção Popular), que operam na Síria, como uma filial do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) proibido na Turquia.

    Mais:

    Ancara: Uso de curdos na libertação de Raqqa ameaça futuro da Síria
    Erdogan: 'nenhum problema' com operação conjunta com EUA
    Tags:
    Escudo do Eufrates, Partido da União Democrática (PYD), Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar