06:13 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Forças da segurança curdas do Iraque patrulham as ruas de Kirkuk, 22 de outubro de 2016

    Daesh ataca Kirkuk tomando o controle de 7 bairros e do prédio da prisão

    © AFP 2017/ Marwan IBRAHIM
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ofensiva de Mossul (96)
    10141416

    O ataque do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) contra a cidade iraquiana de Kirkuk pegou de surpresa as forças da coalizão, aparentemente se tratou de uma manobra de diversão, disse uma fonte no Ministério da Defesa da Rússia.

    "Ontem os grupos terroristas que se encontram em Mossul atacaram a cidade de Kirkuk, localizada a 140 quilômetros a leste de Mossul, capturaram 7 bairros da cidade e hoje continuam a ofensiva. Foi capturado também o edifício da prisão, os presos foram alistados nas fileiras dos terroristas " disse a fonte à agência RIA Novosti.

    "Aparentemente, os militantes realizam o ataque contra Kirkuk como manobra de diversão. A ofensiva pegou de surpresa as forças da coalizão, parece que elas estão desorganizadas", disse ele.

    A cidade de Kirkuk ocupa uma área de cerca de 150 quilômetros quadrados, com uma população de cerca de 700 mil pessoas. Na sexta-feira, a cidade foi atacada de surpresa por extremistas do Daesh. De manhã, militantes atacaram edifícios governamentais na cidade, bem como a usina elétrica localizada na província homônima, no bairro de Dibis. As forças de segurança iraquiana repeliram o ataque.

    Anteriormente, de acordo com a agência Associated Press, as forças de segurança do Iraque haviam anunciado o fim do ataque do Daesh contra Kirkuk.

    Tema:
    Ofensiva de Mossul (96)

    Mais:

    Civis resistem ao Daesh em Kirkuk e enforcam terrorista em praça pública (FOTO +18)
    Forças iraquianas repelem ataque do grupo terrorista Daesh em Kirkuk no norte do Iraque
    Cidade iraquiana de Kirkuk atacada pelo Daesh (VÍDEO)
    Tags:
    captura, ofensiva, Daesh, Kirkuk, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik