12:12 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Caminho no bairro Bustan al-Qasr, Aleppo, Síria, 20 de outubro de 2016

    Pausa em Aleppo: 'Rússia e EUA negociam áreas de influência no Oriente Médio'

    © REUTERS / Abdalrhman Ismail
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13132
    Nos siga no

    Uma pausa humanitária foi introduzida em Aleppo às 08h00 (horário local) de quinta-feira (20) para assegurar a evacuação segura de militantes desarmados e civis do leste de Aleppo através de oito corredores. Mais cedo, o ministro da Defesa russo Sergei Shoigu anunciou que Moscou decidiu estender a pausa humanitária em Aleppo por mais 24 horas.

    Entretanto, a pausa humanitária em Aleppo pode surpreender, tendo em conta o fato de que foi declarada quando o exército sírio estava muito próximo de tomar controle da cidade, diz uma matéria na publicação online Svobodnaya Pressa.

    Segundo o jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung, Washington não tem recursos para apoiar os militantes em Aleppo. Eles não conseguem se opor ao exército sírio e à Força Aeroespacial russa.

    Entretanto, o futuro da Síria depende do resultado da batalha de Aleppo. Se o governo sírio retomar o controle sobre a cidade isso ajudará muito a reforçar as posições do presidente Bashar Assad, notou o jornal.

    A pausa humanitária em Aleppo é um sinal que a Rússia e os EUA estão prestes a negociar a divisão de áreas de influência no Oriente Médio, disse Sergei Ermakov, analista sênior do Instituto Russo de Estudos Estratégicos.

    Segundo o especialista, o Oriente Médio é uma região onde Moscou e Washington têm interesses comuns.

    "Ambos, a Rússia e os EUA, precisam de uma vitória na região. Com efeito, o combate por Aleppo e a liberação de Mossul no Iraque demonstram a demarcação de zonas de influência no Oriente Médio ao longo da linha Rússia-EUA", disse ele à Svobodnaya Pressa.

    Declarando a pausa humanitária em Aleppo, a Rússia provou que está agindo em concordância com o direito internacional, inclusive fornecendo corredores para os residentes da cidade atacada, disse Ermakov. Além disso, a pausa pode ser usada pelo exército sírio para se reforçar e se reagrupar.

    A pausa nos combates em Aleppo também tem objetivos práticos, disse Mikhail Aleksandrov da Universidade de Relações Internacionais de Moscou.

    "Segundo o Ministério da Defesa, os militantes que largaram as armas estão abandonando a zona de operações militares através dos corredores. Isso facilitará o futuro assalto a Aleppo. Quantos mais militantes a abandonarem, tanto menos esforços serão precisos para retomar o controle sobre a cidade. A pausa também ajudará a diminuir o número de baixas entre civis", destacou Aleksandrov.

    Mais:

    Enviado da ONU confirma a suspensão de ataques aéreos em Aleppo
    Ministério da Defesa belga nega ataque aéreo em Aleppo
    Moscou: extremistas não deram trégua aos corredores humanitários em Aleppo
    Secretário-Geral da ONU elogia Rússia pelo cessar-fogo em Aleppo
    Ataques terroristas deixam militares russos feridos nos corredores humanitários de Aleppo
    Merkel: sanções contra Rússia só se a intensidade de ataques em Aleppo permanecer a mesma
    Tags:
    combate, opinião, negociações, Bashar Assad, Aleppo, Oriente Médio, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar