02:06 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militares iraquianos estão a caminho de Mossul para combater os militantes do Daesh em Campo Taji em Bagdá, 21 de fevereiro de 2016

    Premiê do Iraque anuncia início da ofensiva para libertar Mossul do Daesh

    © REUTERS / Ahmed Saad
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ofensiva de Mossul (96)
    1091

    O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, anunciou hoje (16) o início da operação militar para libertar a cidade de Mossul, no norte do Iraque, da ocupação do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico – proibido na Rússia e em diversos países).

    O início da ofensiva foi anunciado pelo premiê através de um discurso transmitido pela televisão.

    Mossul, com quase 700 mil habitantes, é a capital da província de Ninawa e a segunda maior cidade do Iraque. Exército iraquiano, milícias xiitas e curdos, apoiados pelas forças aéreas da coalizão internacional liderada pelos EUA, tentam, desde o mês de março, libertar a cidade do Daesh, que ocupou Mosul em junho de 2014.

    Neste sábado (15), de acordo com a agência Anadolu, militares americanos deram início a ataques contra posições do Daesh em Mossul. Segundo informaram fontes iraquianas à Sputnik, os ataques eram parte da preparação para a ofensiva anunciada hoje.

    No início deste mês, o chefe do Comité de Segurança da província de Ninawa, Mohamed Ibrahim al Bayati, declarou que a operação de libertação de Mosul seria “rápida e inesperada”, aproveitando o fator de velocidade e surpresa para frustrar os jihadistas.

    Comentando a crescente aproximação das forças iraquianas  de Mossul, considerado o principal reduto do Daesh, Pentágono alertou para o provável uso de armas químicas pelos terroristas.

    Tema:
    Ofensiva de Mossul (96)
    Tags:
    ofensiva, operação, libertação, Daesh, Estado Islâmico, Mossul, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik