05:21 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Combatentes de Peshmerga, forças  do Curdistão iraquiano após o combate de dois dias a 15 quilômetros da cidade de Mossul, Iraque

    Curdistão iraquiano pede ajuda britânica contra ataques químicos do Daesh

    © AFP 2019 / JOSEPH BARRAK / AFP
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Devastando as sedes do Daesh (65)
    211
    Nos siga no

    Na terça-feira o Curdistão iraquiano pediu ajuda ao Reino Unido contra eventuais ataques químicos por parte do grupo terrorista Daesh na véspera do combate pela cidade iraquiana de Mossul.

    O jornal The Guardian comunicou que o alto representante curdo no Reino Unido, Karwan Jamal Tahir, encaminhou uma solicitação por escrito ao secretário da Defesa britânico, Michael Fallon, informando que os terroristas do Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países) alegadamente usaram armas químicas contra destacamentos de Peshmerga (forças armadas do Curdistão iraquiano) pelo menos 19 vezes.

    A respectiva solicitação foi feita no âmbito das preparativas para uma ofensiva que visa liberar a cidade de Mossul, considerado o maior baluarte do Daesh.

    Mossul, com uma população de quase 700 mil habitantes, é a capital da província de Ninawa e a segunda maior cidade do Iraque. O exército do governo, milícias xiitas e curdos, apoiados pelas forças aéreas da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, tentam, desde o mês de março, libertar a cidade do Daesh, que dominou Mossul em junho de 2014.

    Tema:
    Devastando as sedes do Daesh (65)

    Mais:

    Liberação de Mossul começará no início de outubro
    EUA se dispõem a a enviar mais tropas ao Iraque para a batalha por Mossul
    Tags:
    solicitação, ofensiva, terroristas, armas químicas, Daesh, Peshmerga, The Guardian, Michael Fallon, Curdistão iraquiano, Mossul, Iraque, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar