13:50 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov na reunião dos líderes dos países-membros da Comunidade dos Estados Independentes, Quirguistão, 16 de setembro de 2016

    Moscou não exclui que EUA queiram usar terroristas no plano B

    © Sputnik / Grigory Sysoev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    45333

    Moscou não exclui que os EUA tivessem planos de usar os terroristas para derrotar o presidente sírio Bashar Assad como parte de um futuro plano B, disse o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov.

    "No âmbito do Grupo Internacional de Apoio à Síria, os EUA assumiram a responsabilidade de demarcar a oposição e, até agora, não conseguiram fazer isso. Temos mais e mais razões de pensar que, desde o início, o plano consistia em livrar a [Frente] al-Nusra dos ataques e deixá-la para qualquer caso, para um plano B, quando fosse o tempo de mudar o regime", disse Lavrov em entrevista ao canal televisivo britânico BBC World.

    Segundo Lavrov, os EUA disseram que a separação da oposição moderada da Frente al-Nusra era uma prioridade, mas ainda não há resultados concretos.

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia notou que terá mais uma rodada de negociações com o seu homólogo John Kerry na sexta-feira (30). Entre outras coisas irão discutir a separação da oposição moderada dos terroristas da Frente al-Nusra.

    "Realizamos negociações com Kerry quase todos os dias. Como compreende, hoje termos mais [uma conversa]", disse Lavrov.

    O ministro russo disse: "Kerry continua prometendo que, quando pararmos de voar [sobre a Síria] e quando Assad parar os ataques aéreos, começarão a demarcar a oposição moderada dos terroristas".

    Comentando declarações recentes do Departamento de esatdo sobre possíveis ataques terroristas na Rússia por causa da operação na Síria, Lavrov disse que tais ameaças são inaceitáveis. 

    "É uma ameaça inaceitável. Se calhar é um sinal para os que querem fazer isso [organizar atentados na Rússia]", disse

    Entretanto, o acordo entre a Rússia e os EUA sobre a Síria ainda está em vigor, disse Lavrov.

    "Não deixou de estar [em vigor] e quando tivemos uma reunião em Nova York declaramos que estamos prontos a implementar as disposições do documento que acordamos, com a condição de não haver quaisquer atrasos em separar [os terroristas da oposição moderada]", afirmou Lavrov.

    Mais:

    EUA estudam a possibilidade de uma ‘solução militar’ na Síria
    'Aviação russa precisa de mais um aeródromo na Síria'
    Rússia pronta para continuar diálogo com EUA sobre ações conjuntas na Síria
    Kremlin: EUA não cumprem seus compromissos na Síria
    Síria já não existiria, se Rússia não tivesse intervindo
    Tags:
    atentados, acordo, ameaça, terroristas, terrorismo, Sergei Lavrov, John Kerry, EUA, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik