06:15 18 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Presidenciável norte-americana Hillary Clinton do Partido Democrata dos EUA

    Clinton não apoia solução da ONU sobre o conflito entre Palestina e Israel

    © AFP 2018/ BRENDAN SMIALOWSKI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    329

    A presidenciável do Partido Democrata, Hillary Clinton, anunciou ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que é contra "qualquer intenção das partes externas de impor uma solução ao conflito entre israelenses e palestinos".

    Durante uma reunião com Netanyahu, que foi realizada à noite num hotel em Nova York, Clinton destacou que se opõe às tentativas do Conselho de Segurança da ONU de obrigar israelitas e palestinos a cumprirem exigências particulares e a realizarem negociações novamente.

    Segundo o comunicado da sua equipe de campanha, a presidenciável reiterou seu compromisso de solucionar o conflito entre os dois países. De acordo com ela, a solução pode ser possível somente por meio de negociações entre ambas as partes.

    Clinton destacou que "Israel forte e seguro" é essencial para os EUA.

    Ao mesmo tempo, Clinton apoiou o acordo bilateral firmado neste mês que prevê ajuda militar de Washington a Israel equivalente a 38 bilhões de dólares entre 2018 e 2028.

    Netanyahu expôs sua própria visão das questões de segurança na região do Oriente Médio, "destacando esforços de Israel em prol da paz e estabilidade na região".

    Durante a reunião entre Netanyahu e o candidato do Partido Republicano Donald Trump, que decorreu umas horas antes, o último deu garantias ao líder israelense de que, caso vença as eleições, ele "aceitará a antiga ordem do Congresso de reconhecer Jerusalém como capital indivisível do Estado de Israel".

    A parte oriental de Jerusalém tem sido ocupada por Israel desde 1967. A comunidade internacional não a reconhece como capital de Israel.

    A Palestina busca o reconhecimento de seu Estado independente em territórios na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, e na Faixa de Gaza — territórios ocupados por Israel desde 1967, na Guerra dos Seis Dias. Israel se recusa a reconhecer o Estado palestino como uma entidade diplomática independente, ao contrário de 136 dos 193 países membros da ONU, inclusive a Rússia e o Brasil.

    Mais:

    FBI: Clinton deixou documentos secretos em hotel russo quando era secretária de Estado
    Hillary Clinton fará primeira aparição pública depois da pneumonia
    Tags:
    ajuda militar, negociações, conflito, solução pacífica, Congresso dos EUA, ONU, Donald Trump, Hillary Clinton, Benjamin Netanyahu, Jerusalém, Washington, Oriente Médio, Faixa de Gaza, Cisjordânia, Nova York, Palestina, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik