01:59 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Fumaça sobre Aleppo após violentos confrontos entre rebeldes e forças governamentais, Síria, 18 de agosto de 2016

    'EUA querem tomar controle sobre Rússia e China devido a terem medo deles'

    © AFP 2018 / GEORGE OURFALIAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    502616

    Todas as vezes em que o mundo está à beira de resolução da crise síria, quando os diplomatas dos EUA e da Rússia apertam as mãos depois de terem atingido acordos, a Casa Branca inventa um novo pretexto para culpar a Rússia de tudo o que está acontecendo.

    O membro do Bureau Político do Partido Nacionalista Social da Síria Tarek Al-Ahmed disse à Sputnik Árabe que a situação na Síria entrou em um beco sem saída e que a crise política síria se tornou uma rede complexa por causa da intervenção de forças externas.

    "O objetivo dos EUA não se limita à Síria. A frente síria não é o objetivo em si. Precisamos de ver este problema de forma global e reconhecer que dentro da Síria se está realizando uma Terceira Guerra Mundial que os EUA travam contra seus aliados. Embora, estes aliados sejam as próprias vítimas", disse o político.

    As mentiras que Obama disse na Assembleia Geral da ONU são uma continuação da novela, cujo enredo é continuar a guerra, afirmou Al-Ahmed. Todas as ações norte-americanas neste conflito visam controlar o mundo.

    "O objetivo principal dos EUA é capturar a força que mais os ameaça. Assim, [os EUA] travam a guerra contra essa força. E essa força são a China e a Federação da Rússia", disse.

    Na opinião do político sírio, a Rússia sabia que os acordos com os EUA sobre a Síria significariam uma derrota dos últimos neste conflito se fossem cumpridos.

    Há que lembrar que em 9 de setembro a Rússia e os EUA atingiram um acordo sobre o cessar-fogo na Síria que começou sendo realizado. Entretanto, a situação mudou com o ataque contra o comboio humanitário perto de Aleppo em 20 de setembro. As partes se acusam mutuamente deste ataque, mas não têm quaisquer provas. Os EUA declararam que vão rever sua cooperação com a Rússia na Síria.  

    Mais:

    Radiciais abandonam cidade síria de Homs após acordo com autoridades
    Pentágono: troca de informações de inteligência sobre Síria com Rússia 'não é boa ideia'
    Turquia abre fogo contra posições do Daesh na Síria
    Ministro alemão: interdição aérea total na Síria é última chance para salvar cessar-fogo
    Síria: Rússia e Bielorrússia enviam mais de 20 toneladas de ajuda humanitária
    Kerry e Lavrov devem realizar novo encontro sobre a Síria nas próximas horas em NY
    Tags:
    controle, conflito, guerra, China, Rússia, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik