13:35 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militantes do Daesh em um veículo das forças de segurança do Iraque

    Militantes do Daesh escavam fosso em Mossul para resistir a assalto de coalizão

    © AP Photo / Arquivo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    712

    As forças da coalizão internacional contra o Daesh na Síria estão se preparando para um ataque à cidade de Mossul. Para resistir, as forças do Daesh estão escavando um fosso em torno da cidade, escreve a agência Reuters.

    A cidade de Mossul é a segunda maior cidade do país. Deste o verão de 2014 que a cidade está sob controle dos militantes do Daesh e agora é o centro principal dos terroristas no Iraque. Desde março de 2016 que o exército do Iraque e os destacamentos curdos e xiitas, apoiados pela aviação da coalizão internacional, estão realizando uma operação para liberação da cidade.

    Segundo a agência, os militantes estão construindo uma rede de túneis por toda a cidade e um fosso em torno dela, que durante o assalto deverá ser preenchido com óleo ardendo.

    Segundo a agência, a batalha decisiva pela cidade de Mossul pode começar já em outubro.

    "Fossas com óleo, túneis e ataques de homens-bomba não vão salvar o Daesh, eles apenas farão o abastecimento mais difícil. Mas temos certeza que o Daesh vai lutar até ao último combatente para manter Mossul", disse Sabah Al Numani, um representante das forças contraterrorismo que vão liderar o assalto.

    Agora no Iraque permanece a ameaça ligada às ações do grupo terrorista Daesh. Os militantes dessa organização realizam atentados e as vítimas deles são principalmente os habitantes civis.

    Mais:

    Militares do Iraque tentam recuperar cidade a sul de Mossul cercada pelo Daesh
    Aviões da coalizão internacional destroem fábrica química do Daesh perto de Mossul
    Cerca de 100 combatentes do Daesh são eliminados em Mossul
    Tags:
    terrorismo, operação militar, defesa, assalto, coalizão internacional, Daesh, EUA, Iraque, Mossul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik