15:33 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, encontra o presidente da Síria, Bashar Assad, no Kremlin

    Obama deve aprender com lições de Putin na Síria, opina The Washington Post

    © Sputnik/ Alexei Druzhinin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    152699213

    A intervenção de Vladimir Putin na crise síria fez Barack Obama perder tudo, disse Jackson Diehl, colunista do The Washington Post.

    Segundo Diehl, Barack Obama desde 2012 que hesitou decidir enviar tropas dos EUA para intervir na guerra civil na Síria. Mas políticos famosos, incluindo John F. Kerry e Hillary Clinton, convenceram-no a iniciar as operações da força aérea dos EUA e apoiar a assim chamada "oposição moderada" para fazer derrubar o presidente sírio Bashar Assad e mudar o regime para um favorável aos EUA e seus aliados.

    Segundo Jackson Diehl, Barack Obama recusou repetidamente porque percebeu que uma intervenção poderia apenas agravar o conflito, inspirar o extremismo e piorar a crise humanitária. O que realmente aconteceu.

    O presidente da Rússia mostrou que uma aplicação moderada da força militar pode trazer grandes resultados políticos. O colunista assinala que a Rússia, Irã e o regime de Assad estão obtendo a vitória nesta crise.

    A trégua negociada este mês pela Rússia e EUA dá a Putin tudo o que ele quer: o regime de Assad vai aproveitar o cessar-fogo para aumentar suas forças e ocupar as posições dominantes ao redor da maior cidade do país – Aleppo. O colunista tem certeza que pouco mais tarde Putin irá persuadir Washington para combater os terroristas em vez de tentar derrubar o regime de Assad.

    Mesmo que o regime de cessar-fogo fracasse, Putin já convenceu o Ocidente que o principal problema da Síria são os rebeldes, ou a chamada "oposição moderada", não é o regime de Bashar Assad, escreve o The Washington Post.

    Putin, que fez um show retirando alguns dos seus aviões seis meses atrás, sofreu perdas mínimas. Ele virou a guerra a favor de Assad e como resultado obteve dos Estados Unidos os termos políticos que queria. Nomeadamente, ele realizou isso e simultaneamente conseguiu mesmo influenciar o processo das eleições presidenciais nos EUA, escreve o autor.

    Durante as negociações entre Kerry e Lavrov, escreve o colunista, o serviço de inteligência russo realizou um vazamento de e-mails do Comitê Nacional Democrata dos EUA. Por isso Kerry foi obrigado a finalizar o acordo cumprindo as exigências de Moscou.

    O analista conclui dizendo que Vladimir Putin acaba de realizar o que Obama considerava como impossível na Síria.

    Mais:

    The American Conservative: 'erro de inteligência' na Síria sairá caro para os EUA
    Rússia revela detalhes do acordo com os EUA sobre a Síria após ataque de Deir ez-Zor
    Coalizão liderada pelos EUA se recusa a comentar ataque aéreo contra tropas da Síria
    Tags:
    oposição moderada, reconciliação, conflito armado, guerra civil, terrorismo, Daesh, ONU, Hillary Clinton, Sergei Lavrov, John Kerry, Bashar Assad, Barack Obama, Vladimir Putin, Irã, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik