04:16 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Milícia muçulmana Seleka em Bangui, capital da República Centro-Africana

    Rebeldes massacram 26 civis em vilarejo da República Centro-Africana, diz presidência

    © AP Photo / Jerome Delay
    Oriente Médio e África
    URL curta
    104

    Rebeldes mataram 26 moradores de um vilarejo no norte da República Central Africana, segundo comunicou um porta-voz da presidência citado pela Reuters neste sábado (17).

    "(Rebeldes do grupo) Seleka foram de porta em porta em uma aldeia chamada Ndomete. O chefe da aldeia estava entre as vítimas… Foi um massacre", disse o porta-voz Albert Mokpeme.

    A Seleka (em sangho, “coalizão” ou “aliança”) é uma coalizão de orientação religiosa muçulmana formada em agosto de 2012 na República Centro-Africana, entre diferentes facções políticas e milícias hostis ao governo do presidente François Bozizé, que tomou o poder em 24 de março de 2013, depois de liderar um golpe de Estado contra o presidente Ange-Félix Patassé, eleito em 1993 e reeleito em 1999.

    Desde o golpe de Estado de 2013, o país, de maioria cristã, atravessa uma crise humanitária e de segurança, levando inclusive a ONU a lançar, no ano seguinte, um alerta sobre a possibilidade de um genocídio.


    Mais:

    MSF suspende atividades na República Centro-Africana após ataque
    Rússia fecha mais de 20 contratos para fornecer armas à África
    Quando serão investigados os crimes de militares franceses na África?
    Tags:
    cristãos, muçulmanos, genocídio, civis, vilarejo, massacre, golpe de Estado, Seleka, Ange-Félix Patassé, François Bozizé, República Centro-Africana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar