11:27 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O exército sírio durante um combate no bairro de Salamiya da província de Hama (foto de arquivo)

    Exército sírio informa sobre presença de 5.000 terroristas na província de Hama

    © Sputnik / Morad Saeed
    Oriente Médio e África
    URL curta
    17514

    Está crescendo a intensidade dos ataques terroristas na província síria de Hama, tendo os jihadistas concentrado nos vários bairros mais de 5 mil combatentes, informou no sábado (17) o comandante militar das tropas governamentais sírias na província de Hama.

    "Os grupos armados ilegais continuam os ataques de artilharia, morteiros e metralhadoras contra posições das forças governamentais e alvos civis. A sua intensidade está aumentando. Ontem (16) foram bombardeadas as posições das tropas do governo e os bairros habitacionais de vários povoados", disse o oficial sírio durante uma videoconferência com o centro Nacional da Administração de Defesa da Rússia.

    Ele precisou que durante o bombardeio foram mortas seis pessoas e oito resultaram feridas.

    "De acordo com os dados obtidos pela inteligência, os terroristas concentraram mais de 5 mil militantes, 20 tanques e veículos de combate de infantaria, mais de 30 morteiros e lançadores múltiplos de foguetes", disse o militar.

    Segundo ele, foram realizados ataques contra posições do regimento 555 do exército sírio.

    "Todos os ataques foram repelidos. O rival deslocou cerca de 200 homens, tanques de guerra e veículos de combate de infantaria em direção a Maardes, onde é possível nova tentativa de romper a nossa defesa", afirmou o chefe militar.

    Mais:

    Militares americanos expulsos de cidade síria
    Putin clarifica falta de vontade dos EUA de tornar públicos detalhes de acordo sobre Síria
    Combatentes do Daesh usam armas químicas na Síria
    Mais de 600 regiões aderem ao cessar-fogo na Síria, mas as violações continuam
    Tags:
    bombardeios, ataques terroristas, Exército da Síria, Hama, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar