18:22 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Caaba na cidade santa de Meca, Arábia Saudita

    Chancelaria do Irã: Arábia Saudita dissemina o wahhabismo pela TV

    © flickr.com/ UmmSqueaky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    181

    Neste ano, o hajj (peregrinação à cidade santa de Meca pelos muçulmanos) foi realizado ao fundo de difícil situação política no Oriente Médio. A crise síria, a crise no Iêmen e as tensões entre Arábia Saudita e o Irã são algumas das complicações.

    Mas o Teerã observa outras perturbações de sauditas durante o hajj. Sobre tais dificuldades, o conselheiro do Chanceler iraniano, Hossein Sheikholeslam, fala à Sputnik Persa:

    "Queríamos lembrar sobre os crimes que vêm sendo efetuados pelo regime saudita – são os ataques aéreos de aviação saudita e americana contra os civis do Iêmen, contra as crianças e mulheres desprotegidas. Estes crimes vêm sendo praticados durante não somente vários dias ou semanas, mas durante meses. Apesar disso, o rei da Arábia Saudita, que ordena realizar estes ataques, se denomina o 'guardião dos Lugares Santos', o 'mensageiro da mercê e da paz' e o 'guardião das chaves de Caaba'. Além disso, ele é ligado aos crimes realizados na Síria e no Iraque."

    O conselheiro lembrou também que durante o hajj do ano passado, morreram 7 mil pessoas. Segundo ele, a culpa é das autoridades da Arábia Saudita. O motivo das mortes estaria ligado à aglomeração de gente, mesmo assim, o governo deixou a desejar no fornecimento de água aos muçulmanos, levando a morte de muitos fiéis, acrescenta.

    Segundo Hossein Sheikholeslam, Riad não leva em consideração as necessidades espirituais do povo iraniano e não é capaz de organizar tal evento, pois os organizadores lançaram uma campanha de TV no idioma persa para informar sobre as regras da peregrinação. O conselheiro acredita certamente que tais transmissões não têm caráter pacificador.

    "O sistema monárquico da Arábia Saudita se baseia na ideologia de wahhabismo e terrorismo. Como resultado da propagação desta ideologia por todo o mundo, foram abertas várias madraças, começando pela cidade santa de Medina. A criação do canal de televisão que segue a ideologia de wahhabismo é uma ação com o mesmo propósito."

    O especialista concluiu assinalando que a divulgação desta ideologia é muito perigosa para todos os países de língua persa.

    Mais:

    Arábia Saudita intercepta míssil do Iêmen
    EUA vendem armas à Arábia Saudita no valor de $ 115 bilhões
    Paralelo à G20, Temer se encontra com líderes do Japão, Espanha, Arábia Saudita e Itália
    Tags:
    hajj, crimes, wahhabismo, TV, vítimas, Meca, Iêmen, Oriente Médio, Irã, Iraque, Arábia Saudita, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar