12:55 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Guarda Revolucionária do Irã realiza exercícios navais no Golfo Pérsico

    Drones e aviões: que mais usam EUA para espionar Irã?

    © AFP 2017/ FARS NEWS/MEHDI MARIZAD
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4163

    Nos últimos tempos aumentou drasticamente o número de incidentes entre forças armadas dos Estados Unidos e do Irã perto da fronteira iraniana.

    Um dos últimos aconteceu assim: o canal de TV CNN citando o ministério da Defesa americano informou que o lado iraniano ameaçou as tripulações de aviões americanos P-8 Poseidon, com 10 pessoas a bordo, e EP-3 Eries, com tripulação de 24 pessoas. A ameaça consistiu em aviso de abate caso as aeronaves entrassem no espaço aéreo iraniano na região do golfo Pérsico.

    Os pilotos americanos tomaram a decisão de ignorar o aviso e continuaram seu voo em espaço aéreo internacional muito perto do território do Irã.

    "Uma base de defesa antiaérea foi colocada em alerta por um drone invisível americano ter sido detectado no leste do Irã", informou a agência Tasnim umas semanas atrás.

    Citando o comando militar iraniano, foi divulgado que o drone, após receber o aviso, se retirou do espaço aéreo do Irã.

    “Provavelmente, o veículo não tripulado, que estava voando a partir do território do Afeganistão, estava realizando uma missão de recolha de informações. Ele foi descoberto por meios da DAM iranianos e após receber o aviso mudou de rumo e se retirou do espaço aéreo iraniano”, foi informado.

    Outro incidente teve lugar mais tarde e nele participaram navios das marinhas dos EUA e do Irã. O navio de patrulha americano USS Squall disparou tiros de aviso para a água ao ver lanchas iranianas se aproximando na parte norte do Golfo Pérsico.

    Enquanto isso, são os próprios Estados Unidos que todo o tempo espionam o Irã, declarou na entrevista à Sputnik Persa Emad Abshenass, redator-chefe do jornal Iran Press.

    "Para eles é importante esclarecer se a República Islâmica [do Irã] reagirá a diferentes provocações e desafios e, a propósito, verificar se o Irã descartou a tática da assim chamada 'oposição e resistência aos EUA'. É por isso que os EUA recorrem a rodeios semelhantes. <…> Não é segredo que o objetivo principal dos Estados Unidos neste respeito é espionagem", disse.

    Além disso, em meados de janeiro, duas lanchas da Marinha dos EUA que navegavam do Kuwait para o Bahrein acabaram em águas territoriais do Irã e foram detidas. 

    Em janeiro, também um veículo não tripulado de informações iraniano realizou, no âmbito de exercícios no Golfo Pérsico, um voo sobre porta-aviões americano e tirou fotos deste.

    As forças da Marinha dos EUA também publicaram um vídeo que alegadamente mostra navios do Irã fazendo lançamentos de mísseis perto de um porta-aviões americano.

    Abshenass, o especialista entrevistado, sublinhou também que os Estados Unidos não têm limites nenhuns na espionagem que efetuam: eles estão prontos de sacrificar seu material ou até mesmo tripulações para obter os dados desejados. 

    Num caso semelhante, de que ele se lembrou, drones americanos foram abatidos no espaço aéreo iraniano:

    "O próprio presidente Obama pediu ao Irã para lhes entregarem todos os destroços dos drones-espiões americanos. O Irã não só não fez isso, como até deu uma das cópias deles como presente ao seu aliado — a Rússia", disse.

    De acordo com ele, as forças da defesa antiaérea iraniana estão sempre em alerta e prontas para abater tudo no seu espaço aéreo.

    Mais:

    Ex-almirante: Marinha iraniana comete ações 'perigosas e imprudentes'
    Reino Unido envia porta-aviões para o Golfo Pérsico
    Tags:
    drone, espionagem, Marinha, EUA, Irã, Golfo Pérsico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik