05:40 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0122
    Nos siga no

    Os "processos migratórios" do Daesh continuam. A necessidade de eliminar os terroristas na Síria e no Iraque permanece urgente.

    Entretanto, mais e mais militantes fogem para os seus países de origem devido às grandes baixas sofridas entre os terroristas na Síria e no Iraque, onde se realizam operações antiterroristas. O relatório do Conselho de Segurança da ONU sobre o Daesh e a Al-Qaeda afirma que os terroristas no Oriente Médio sofrem uma pressão colossal que leva a que abandonem as zonas de conflito. A mesma situação pode ser observada na Líbia e no Afeganistão. Segundo os dados da ONU, no momento atual 10-30% dos jihadistas voltaram para os seus países.

    O correspondente da emissora estatal iraniana na Síria, Hassan Shemsadi, disse em entrevista à Sputnik Persa que a operação antiterrorista russa e a cooperação de Moscou com Teerã nesta área têm uma importância especial.

    Shemsadi disse que, 65 meses atrás, quando começou a crise síria, a Rússia e o Irã tomaram uma posição decisiva tendo atingido uma compreensão comum sobre o assunto.

    "O que acontece na Síria não é a vontade ou apelo revolucionário do povo deste país, mas é uma tentativa dos conspiradores estrangeiros realizarem seus planos pérfidos. Há que notar que o fluxo dos novos mercenários de vários países, se juntando aos terroristas no território da Síria, foi bem organizado desde início. Agora mesmo, os serviços de segurança ocidentais, e os norte-americanos em particular, reconheceram que dezenas de milhares de terroristas de 90 nacionalidades de todo o mundo lutam violentamente na Síria e no Iraque contra os governos legítimos e os exércitos destes países árabes", disse.

    Segundo o jornalista, a Rússia e o Irã elaboraram uma estratégia para eliminar os próprios terroristas e lutar contra seus patrocinadores regionais. E a cooperação russo-iraniana está sendo muito bem sucedida.

    "As autoridades russas compreendem bem que se não realizarem uma luta sem precedentes contra terroristas na Síria e no Iraque, eliminando as suas posições, dentro de algum tempo terão de apanhá-los no metrô de Moscou e em outras regiões do país", notou Shemsadi.

    Os terroristas não ameaçam só Moscou ou Teerã, eles são uma ameaça mundial, destacou o jornalista. As provas disso são os desenvolvimentos na França, Turquia, Bélgica e outros países.

    Shemsadi disse que as ações da Rússia e do Irã são justificadas e devem continuar até à vitória final.

    Mais:

    Eliminado comandante da Frente al-Nusra na Síria
    CNN: EUA abandonam oposição síria em apuros
    Rússia: Terroristas bombardearam áreas habitadas em quatro províncias da Síria
    Tags:
    Rússia, Síria, Irã, Daesh, terrorismo, ameaça, cooperação, combate
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar