04:27 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Tanque do exército turco enviado para a Síria

    Ao contrário dos EUA, Rússia e Turquia 'se entendem muito bem' no jogo de xadrez sírio

    © Sputnik/ HIKMET DURGUN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    141479201

    A diplomacia e estratégia de jogo de xadrez são fatores chave que definem progressos no campo de batalha na Síria. A Rússia e a Turquia compreendem bem as jogadas, realizadas por eles, diferente dos EUA, disse à Sputnik Turquia o cientista político turco, Mesut Hakki Casin.

    Presidente russo Vladimir Putin fala ao presidente norte-americano Barack Obama antes da sessão da APEC, Pequim, China, novembro de 2014
    © AFP 2017/ POOL DE KREMLIN/ SERVIÇO PÚBLICO DO PRESIDENTE
    Segundo o especialista, a Rússia se manifesta a favor da integridade síria e iraquiana.

    "É sobre isso que o presidente Putin fala, quando sugere necessidade de respeitar as normas do direito internacional para resolver a crise na região", acrescentou.

    Mesut frisou que durante a cúpula do G20, em Hangzhou, o presidente Recep Tayyip Erdogan também disse que a operação turca viola a integridade territorial na Síria.

    Além disso, na terça-feira (7), o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, comunicou que Ancara pretende introduzir o cessar-fogo de 48 horas na cidade cercada de Aleppo.

    Ao mesmo tempo, isso pode levar a uma nova onda de refugiados que já inundaram a Turquia.

    Durante entrevista coletiva na cúpula do G20, Barack Obama disse que os EUA e a Rússia têm realizado "conversações produtivas" sobre resolução do conflito sírio, mas ainda há falta de confiança entre eles.

    "Tudo isso significa que ao contrário dos EUA, a Turquia e a Rússia compreendem realmente uma a outra sobre a Síria", disse Casin à Sputnik.

    "Penso que os presidentes, Putin e Erdogan, serão capazes de atingir acordos sobre Aleppo, no futuro mais próximo, que levará ao anúncio do cessar-fogo, durante a Festa do Sacrifício, e abertura de corredores humanitários", acrescentou.

    Comentando os progressos na Síria, o cientista político notou que no ano passado o Exército sírio controlava somente 15% do território do país. Se a Rússia não tivesse se envolvido, Assad não seria o atual presidente do país.

    "A Rússia, sem dúvida, está desempenhando papel de líder entre os cinco países que são capazes de definir a situação na Síria, sendo eles os EUA, a Arábia Saudita, o Irã e a Turquia", disse o cientista político.

    Entretanto, agora a situação é complicada por causa de desconfiança mútua.

    Todas as partes do conflito devem estar interessadas no cessar-fogo na região.

    No entanto, os EUA, usando curdos sírios, buscam criar uma Síria que corresponda aos seus interesses geopolíticos.

    Ao mesmo tempo, o especialista sublinhou que Moscou, Damasco e Teerã insistem no respeito ao princípio da integridade territorial da Síria.

    Por isso, seria melhor que o cessar-fogo fosse anunciado o mais rápido possível em concordância com normas do direito internacional. Todos os participantes devem entender isso, concluiu.

    Mais:

    Observadores russos reportam mais seis violações da trégua na Síria
    Washington diz que Rússia e EUA estão alcançando progresso sobre Síria
    Foguete do Daesh mata dois soldados da Turquia no norte da Síria
    Moradores da cidade síria Darayya descartam passaportes inúteis emitidos pelos rebeldes
    Tags:
    xadrez, resolução pacífica, jogo, cooperação, cessar-fogo, G20, Recep Tayyip Erdogan, Barack Obama, Vladimir Putin, Turquia, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik