00:29 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Operação de resgate no local da queda do avião russo

    Peritos estrangeiros chegam ao Egito para investigar queda do avião russo abatido no Sinai

    Ministério para Situações de Emergência da Federação da Rússia
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 11

    Especialistas russos e alemães chegaram ao Cairo nesta segunda-feira (29) para inspecionar os destroços do avião A321 da companhia russa Metrojet que foi abatido sobre o Sinai no final de outubro, na esperança de descobrir como a aeronave se despedaçou, segundo informou o Ministério da Aviação egípcio.

    O grupo Daesh (autodenominado Estado Islâmico) reivindicou a responsabilidade pelo ataque, que matou todas as 224 pessoas a bordo – em sua maioria, turistas russos.

    Os destroços do A321 foram transportados para o aeroporto do Cairo e serão reunidos "para determinar o ponto de partida da desintegração (do avião)", afirma o comunicado do ministério.

    O Daesh afirmou que contrabandeou uma bomba dentro de uma lata de refrigerante para o interior do avião em resposta aos ataques aéreos russos na Síria.

    O Airbus A321 foi construído em Hamburgo, na Alemanha, e era operado pela companhia aérea russa.

    Peritos franceses e irlandeses também são esperados no Cairo para a investigação, disse o ministério egípcio, acrescentando que o desenho da aeronave tinha sido concebido na França e registado na Irlanda.

    Mais:

    CIA confirma a eliminação do terrorista, responsável pela queda de aeronave russa no Egito
    Exército do Egito eliminou o líder do grupo Ansar Bait al-Maqdis no Sinai do Norte
    Chefe do Parlamento do Egito: 'O Sinai está livre de terroristas'
    Tags:
    ataque terrorista, queda, destroços, investigação, peritos, avião abatido, ataques aéreos, A321, Metrojet, Estado Islâmico, Daesh, Sinai, Rússia, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik