08:59 27 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    Especialistas russos e alemães chegaram ao Cairo nesta segunda-feira (29) para inspecionar os destroços do avião A321 da companhia russa Metrojet que foi abatido sobre o Sinai no final de outubro, na esperança de descobrir como a aeronave se despedaçou, segundo informou o Ministério da Aviação egípcio.

    O grupo Daesh (autodenominado Estado Islâmico) reivindicou a responsabilidade pelo ataque, que matou todas as 224 pessoas a bordo – em sua maioria, turistas russos.

    Os destroços do A321 foram transportados para o aeroporto do Cairo e serão reunidos "para determinar o ponto de partida da desintegração (do avião)", afirma o comunicado do ministério.

    O Daesh afirmou que contrabandeou uma bomba dentro de uma lata de refrigerante para o interior do avião em resposta aos ataques aéreos russos na Síria.

    O Airbus A321 foi construído em Hamburgo, na Alemanha, e era operado pela companhia aérea russa.

    Peritos franceses e irlandeses também são esperados no Cairo para a investigação, disse o ministério egípcio, acrescentando que o desenho da aeronave tinha sido concebido na França e registado na Irlanda.

    Mais:

    CIA confirma a eliminação do terrorista, responsável pela queda de aeronave russa no Egito
    Exército do Egito eliminou o líder do grupo Ansar Bait al-Maqdis no Sinai do Norte
    Chefe do Parlamento do Egito: 'O Sinai está livre de terroristas'
    Tags:
    ataque terrorista, queda, destroços, investigação, peritos, avião abatido, ataques aéreos, A321, Metrojet, Estado Islâmico, Daesh, Sinai, Rússia, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar