19:30 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Rebeldes Houthis armados no Iêmen

    ONU vai investigar crimes no Iêmen

    © REUTERS/ Khaled Abdullah
    Oriente Médio e África
    URL curta
    110

    Zeid Ra'ad Al Hussein, Alto Comissário do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, propôs criar um órgão especial a fim de investigar crimes no Iêmen, diz comunicado da organização.

    Segundo ele, tal necessidade existe, pois se trata de "seriedade das supostas violações dos direitos humanos no Iêmen".

    Zeid Ra'ad Al Hussein incentivou todas as partes a fazerem o máximo possível em prol de uma solução pacífica do conflito.

    Vale a pena mencionar que na quinta-feira (25) os delegados do Alto Comissário, encarregados pela investigação no Iêmen, apresentaram um relatório detalhado sobre violações de direitos humanos no país.

    Escombros de casas destruídas em ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita no Iêmen
    © AP Photo/ Hani Mohammed
    Segundo estimativas, no período entre março de 2015 e 23 de agosto de 2016 foi registrado grande número de casos de violação dos direitos humanos, que causaram a morte de cerca de 3,8 mil civis e deixaram 6,7 mil feridos. Além disso, 7,6 milhões de pessoas enfrentaram a fome e 3 milhões abandonaram suas casas.

    O conflito armado no Iêmen continua desde 2014. Os rebeldes hostis do movimento shiita Ansar Allah e a parte do Exército leal ao ex-presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, continuam combatendo as tropas do presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi.

    Mais:

    Daesh planeja criar nova sede no Iêmen
    Sete soldados sauditas morrem em confrontos na fronteira do Iêmen
    Tags:
    investigação, solução pacífica, direitos humanos, violação, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Ali Abdullah Saleh, Ra'ad Zeid Al Hussein, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik