23:30 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Crianças no bairro destruído da cidade de Aleppo, Síria, abril de 2016

    ONU fala em 'catástrofe sem precedentes' em Aleppo

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    928
    Nos siga no

    O Diretor de Operações Humanitárias das Nações Unidas expressou frustração nesta segunda-feira (22) com a incapacidade das potências mundiais de acordar uma trégua na Síria a fim permitir a chegada de ajuda a Aleppo, alertando para uma catástrofe humanitária "sem precedentes" na cidade sitiada.

    Stephen O'Brien disse ao Conselho de Segurança da ONU que há planos prontos para enviar rapidamente 70 caminhões com ajuda humanitária para o leste de Aleppo se as partes concordarem com uma trégua.

    "Eu não vou esconder isso. Eu estou irritado, muito irritado", disse O'Brien aos membros do órgão executivo da ONU, que realizaram sua terceira reunião sobre a crise em Aleppo este mês.

    "Como Chefe de Operações Humanitárias da ONU, essa carnificina infame que é a Síria, há muito tempo passou do cinismo ao pecaminoso", acrescentou.

    O'Brien reiterou o seu apelo por uma trégua de 48 horas nos combates em Aleppo, onde a violência aumentou exponencialmente quando as forças do regime cercaram a área controlada pelos rebeldes.

    A luta pelo controle da cidade matou 333 civis desde 31 de julho, quando os rebeldes lançaram uma grande ofensiva para romper o cerco imposto pelo governo.

    "Em Aleppo corre-se o risco de uma catástrofe humanitária sem precedentes nos mais de cinco anos de conflito sangrento e massacres na Síria", disse ele.

    O'Brien também saudou a atitude da Rússia, aliada de Damasco, que apoiou o apelo à trégua de 48 horas, mas disse que todas as partes devem manifestar o seu apoio.

     

    Mais:

    Combate intenso se realiza em Aleppo
    Habitantes de Aleppo fogem dos terroristas
    Exército sírio inicia operação de assalto no sudoeste de Aleppo
    Daesh volta a usar armas químicas em Aleppo
    Tags:
    trégua, catástrofe, cerco, ajuda humanitária, operações humanitárias, ONU, Stephen O'Brien, Rússia, Aleppo, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar