01:03 04 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    136244
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa dos EUA avisou as forças governamentais da Síria para se absterem de ações militares perto de forças norte-americanas e os seus aliados depois do incidente em Al-Hasakah.

    Segundo o representante do Pentágono, a coalizão internacional antiterrorista liderada pelos EUA enviou os seus aviões para a região de Al-Hasakah na Síria para proteger forças especiais que se encontravam no local. Aconteceu que agentes das forças norte-americanas estavam muito perto de zona de ataque dos aviões sírios. O incidente só não provocou um confronto porque, no momento em que a aviação da coalizão chegou a essa área, os aviões sírios já a abandonaram.

    "Consideramos como sérios os casos quando agentes da coalizão se encontram em situação de risco e temos o direito inalienável à autodefesa", citou o jornal norte-americano The Wall Street Journal o porta-voz do Pentágono, Jeff Davis.

    Segundo ele, os EUA dão um conselho a bem aos militares sírios para não interferirem nas ações dos Estados Unidos e seus aliados. "Dissemos de forma clara que a Força Aérea dos EUA protegerá suas forças terrestres em caso de ameaça", disse Davis. Conforme as informações dele, os EUA não contataram diretamente com o governo sírio e não declaram uma zona de exclusão aérea na região de combates no noroeste da Síria.

    Mais:

    Bombardeiro Su-34 batizado com nome de piloto russo morto na Síria
    Especialista russo: China vai desempenhar um papel mais importante na Síria
    Navios russos eliminam base de terroristas na Síria
    Infantaria síria tenta libertar rodoviária central de jihadistas (VÍDEO)
    Tags:
    forças militares, incidente, aviação, terrorismo, coalizão internacional, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar