23:34 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    81251
    Nos siga no

    As recentes declarações hostis do presidente dos EUA, Joe Biden, contra a Rússia estimulam Moscou e Pequim a estabelecer aliança que acabaria sendo desastrosa para Washington, escreve The National Interest.

    Durante discurso ao Congresso dos EUA na quarta-feira (28), Joe Biden comentou inúmeras vezes a relação de Washington com Moscou, chegando a declarar que não busca aumentar tensões e a advertir Moscou das "consequências" em caso de conflito.

    "Com relação à Rússia, deixei bem claro ao presidente [Vladimir] Putin que, embora não busquemos uma escalada [de tensões], suas ações têm consequências", disse Biden.

    Por outro lado, Joe Biden observou que ambos os países poderiam cooperar em áreas de interesse comum.

    O autor do artigo Mark Episkopos, especialista em segurança nacional, afirmou que, com estas declarações, o líder dos EUA deu o "último aviso" ao presidente da Rússia, Vladimir Putin.

    Edição destaca que, em caso de agravamento das relações, Estados Unidos vão ter de "lutar em duas frentes": com a Rússia e com a China ao mesmo tempo.

    Chanceler russo, Sergei Lavrov, e seu homólogo chinês, Wang Yi, durante visita de Lavrov à China
    © Sputnik / Ministério das Relações Exteriores da Rússia
    Chanceler russo, Sergei Lavrov, e seu homólogo chinês, Wang Yi, durante visita de Lavrov à China
    "À medida que a administração Biden se prepara para uma política de confronto de valores com Moscou e Pequim, Washington não pode dar-se ao luxo de perder de vista os riscos geopolíticos subjacentes ao triângulo estratégico EUA-China-Rússia", aponta jornalista.

    No final de abril, Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, afirmou em relação às sanções norte-americanas contra a Rússia que o gigante asiático é totalmente contra a aplicação de medidas restritivas unilaterais, e valorizou a relação entre Pequim e Moscou.

    Wang também assegurou que a China e a Rússia "se apoiarão mutuamente" em todos os assuntos relacionados à proteção da soberania nacional.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Poderia a mentalidade de 'Guerra Fria' dos EUA em relação à China e à Rússia prolongar pandemia?
    Militares dos EUA pediram maior acesso a informações de inteligência sobre Rússia e China, diz mídia
    Armas avançadas da Rússia e China são capazes de 'destruir satélites dos EUA', adverte general
    Tags:
    tensão geopolítica, Vladimir Putin, China, Rússia, cooperação bilateral, Joe Biden, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar