05:29 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    6150
    Nos siga no

    Na opinião do membro do Bundestag alemão, o caso de Navalny devia ser investigado, mas a recusa pela Alemanha de entregar informações ou aceitar cooperação da Rússia aponta a pressões políticas.

    Anton Friesen, que nasceu na República Socialista Soviética do Cazaquistão em 1988, membro do parlamento alemão, Bundestag, e do partido Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão), em entrevista à Sputnik, crê que Berlim está praticando padrão duplo tendo dado refúgio a Aleksei Navalny, mas não a denunciantes como Edward Snowden ou Julian Assange.

    "Vejo desta forma: é claro que temos que investigar tudo isso. Naturalmente, também requer a cooperação de ambas as partes, Alemanha e Rússia. Ao mesmo tempo, deve ser notado que o lado alemão tem até agora retardado o processo: por exemplo, tem ignorado os pedidos da Rússia de assistência jurídica mútua", diz Friesen sobre a entrevista do opositor russo ao jornal Spiegel.

    Berlim também não tem oferecido novas informações sobre a investigação a Moscou, pelo que o parlamentar alemão foi perguntado se isso não é sinal de uma política pró-americana, ressentimento ou erro tático.

    "Vimos algo semelhante no caso dos Skripal, quando o governo federal [da Alemanha] expressou repentinamente sua solidariedade ao Reino Unido, na ausência de qualquer evidência convincente", respondeu.

    Em 2018, Sergei Skripal, antigo agente dos serviços secretos russos e que seria nos últimos anos agente duplo britânico, e sua filha Yulia Skripal, foram alegadamente envenenados, com o uso do agente nervoso Novichok, que levou a deterioração nas relações russo-britânicas.

    Posicionamento da Alemanha

    Na opinião do político alemão, o governo de seu país permite que os outros países da União Europeia o usem para seus fins, e que, ao contrário da França, não promove uma política construtiva em relação à Rússia.

    "O governo federal tem dito repetidamente, inclusive na recente sessão plenária, que quer levar em conta os pontos de vista dos Estados bálticos e da Polônia em sua política em relação à Rússia."

    A Alemanha também não ofereceu refúgio a Assange e Snowden, apesar de o ter feito neste caso, algo que o entrevistado refere ser "simplesmente padrão duplo".

    Importantemente, uma pioria das relações russo-alemãs poderá levar a respostas como o fim do projeto do gasoduto Nord Stream 2, pelo que não é óbvio que um possível envenenamento de Navalny tenha sido cometido pelo governo russo, sugere o membro do AfD.

    "Esta é apenas uma hipótese, uma suposição, mas por trás deste ataque poderiam ter estado, por exemplo, alguns oligarcas ou outros criminosos economicamente ativos", teoriza Friesen, em referência a possíveis exposições de casos de corrupção pelo blogueiro.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Kremlin: Navalny está trabalhando com agentes da CIA
    Criador do Novichok aponta falta de principais sintomas da substância em Navalny
    Kremlin: na questão do 'envenenamento' de Navalny há muita coisa absurda
    Laboratórios francês e sueco confirmam envenenamento de Navalny, segundo governo alemão
    Lavrov: Rússia responderá a eventuais sanções ocidentais de forma recíproca
    Tags:
    Bundestag, Aleksei Navalny, Spiegel, Yulia Skripal, Sergei Skripal, União Europeia, Nord Stream 2, Alternativa para a Alemanha (AfD), AfD, Julian Assange, Edward Snowden, Sputnik Alemanha, Sputnik, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar